Mercado de trabalho - Dicas para se recolocar

Mercado de trabalho - Dicas para se recolocar

Em tempos de crise, muitas pessoas perdem os seus empregos e acabam se sentindo perdidas em relação às atitudes que devem tomar. De acordo com uma pesquisa realizada pelo IBGE, os trabalhadores brasileiros que perdem o emprego levam, em média, oito meses para conseguirem uma nova oportunidade no mercado de trabalho. Se você está nessa situação e está buscando a recolocação profissional, confira as dicas que darei a seguir.
 

Como Conseguir a Recolocação Profissional e Superar as Dificuldades

 
Perder o emprego não é fácil, você se sente desmotivado e, muitas vezes, bate o desespero, principalmente no caso daqueles que são os responsáveis pelo sustento da família. Entretanto, saiba que isso não é o fim do mundo e pode ser uma grande oportunidade para mudar para melhor e encontrar novas oportunidades.
 

1 – Mantenha a Calma

 
Ao receberem a carta de demissão, muitos profissionais perdem a calma, inclusive com pessoas de dentro da empresa. Essa atitude não é, nem de longe, a ideal, pois prejudica a sua imagem e pode impedir que alguma oportunidade surja, seja indicada por um colega, ex-chefe, ou mesmo que deem boas recomendações sobre você. Além disso, em grande parte dos casos, é dada a oportunidade de cumprir o aviso-prévio. Recusar-se a cumpri-lo irá te prejudicar, pois terá menos tempo para buscar outra oportunidade e sua imagem poderá sair prejudicada.
 

2 – Analise a Sua Trajetória

 
Pense na sua trajetória profissional, tanto dentro da empresa da qual foi demitido quanto em outras organizações. Quais contribuições deixou? Que pontos acredita que devem ser melhorados? É importante realizar essa análise para que consiga traçar seus novos objetivos, seja de uma mudança de atitude, busca por novos conhecimentos, etc. Anote as conclusões que chegar e use-as como base para pensar em como agir daqui para frente.
 

3 – Revise o Seu Currículo

 
Mesmo que não tenha tido nenhuma nova experiência desde a última vez que editou o seu currículo, é importante revisá-lo para alterar ou acrescentar algo que julgar necessário. O mesmo vale para o perfil do LikedIn, rede social voltada para carreiras, inclusive se ainda não tiver um perfil, não deixe de criar um. Diversas empresas costumam realizar buscas na internet para saber mais sobre candidatos a vagas e se tiver um perfil completo será um ponto ao seu favor.
 

4 – Recorra ao Seu Networking

 
Dependendo do tempo que passou trabalhando na empresa, é bem provável que tenha conhecido muitas pessoas, tanto colegas, quanto clientes, fornecedores, etc. Agora é o momento de entrar em contato com eles e dizer que está buscando uma recolocação no mercado de trabalho, para caso saibam de alguma oportunidade. Não há vergonha nenhuma nisso e é uma prática bastante natural no âmbito corporativo. Se forem pessoas que não costuma ver pessoalmente, envie um e-mail. Apenas tome cuidado para não ser inconveniente e insistente demais.
 

5 – Esteja Aberto a Novos Desafios

 
Pode ser que encontre uma vaga que é exatamente da sua área, mas pode ser que não. Para conseguir se recolocar no mercado, principalmente em tempos de crise, é interessante que esteja aberto a novas áreas, mas, claro, desde que tenha o mínimo de afinidade com elas. O que quero dizer é que amplie a sua visão para novos horizontes, pode ser que encontre uma oportunidade em algo que te faça muito feliz, mas que não sabia que gostava.
 

6 – Organize a Sua Rotina

 
Não considere o tempo que ficar em casa como férias e organize a sua rotina, pois precisará ter um plano para enviar currículos, visitar empresas, enfim, buscar novas oportunidades. Será possível ter um tempo de descanso, mas, se não houver organização, quando se der conta o seu seguro desemprego estará acabando e você se sentirá desesperado porque não conseguiu nada. Então, defina horários, todos os dias, para realizar as atividades relacionadas à busca pelo novo emprego.
 

7 – Faça um Planejamento Financeiro

 
Grande parte dos profissionais demitidos tem direito ao seguro desemprego e ao FGTS, mas os valores variam de acordo com o cargo, tempo de trabalho, entre outros fatores. Então, é muito importante que pegue todas essas informações e utilize-as para fazer o seu planejamento financeiro. O ideal é se manter apenas com o seguro desemprego e guardar o FGTS para emergências e, também, para o caso de demorar mais do que o esperado para se recolocar no mercado.
 

8 – Prepare-se Para Entrevistas

 
Depois de enviar os currículos, é bem provável que comece a ser chamado para participar de entrevistas, dinâmicas e outras atividades comuns em processos seletivos. Para se sair bem, prepare-se antes, pensando em respostas para questões que costumam ser feitas, como: seus pontos fortes, fracos, pretensão salarial, o motivo de ter saído do empregado anterior, etc. Quanto mais se preparar, mais seguro irá se sentir para falar com naturalidade.
 
Gostou das dicas? Espero que elas te ajudem a encontrar uma ótima oportunidade no mercado de trabalho! Aproveite e compartilhe o artigo com amigos que estejam passando pela mesma situação.