Saiba como usar o mapa da empatia

Saiba como usar o mapa da empatia

Conhecer o público-alvo é fundamental para que qualquer empresa consiga se consolidar em seu mercado e para isso é possível usar o mapa de empatia para analisar os comportamentos e sentimentos dos potenciais consumidores. A partir da observação de alguns dados a respeito de um grupo de pessoas é possível traçar perfis mais assertivos quanto ao que elas esperam das marcas que consomem.

Afinal, o que é mapa da empatia?

O mapa da empatia nada mais é do que um guia para compreender os pensamentos e sentimentos do cliente assim como as coisas que ele fala e faz considerando ainda o que ele vê e escuta. A responsável pela criação dessa ferramenta é a companhia XPLANE que atua como consultora de design para companhias de diversos segmentos com o objetivo de acelerar os seus resultados.

Por que usar o mapa de empatia?

As companhias que optam por utilizar essa ferramenta podem traçar um perfil assertivo quanto ao seu público-alvo. Com o entendimento do olhar de quem está fora do empreendimento fica mais simples fazer mudanças que tenham impactos reais para um novo posicionamento da sua marca.

Somente é possível oferecer o que as pessoas desejam se soubermos de verdade o que elas querem, não é mesmo? O mais interessante é que esse mapa pode ser usado em diversas situações como para abrir uma nova companhia, lançar um novo produto/serviço, desenvolver uma loja virtual, criar um site e assim por diante.

Como usar o mapa de empatia

Para quem se interessou em usar essa ferramenta vou explicar abaixo como utilizá-la, sua base é responder as principais perguntas que ajudarão a entender qual é a lógica dos desejos e comportamentos do seu consumidor.

– O que o público pensa e sente?

Empatia nada mais é do que a capacidade de se colocar no lugar do outro passando a ter acesso ao seu ponto de vista. Se você trocar de lugar por um momento com uma pessoa com quem tenha discutido, por exemplo, poderá se dar conta que sob a ótica dela havia assertividade no que ela defendia. A proposta dessa ferramenta é justamente identificar como o seu público se sente em relação às necessidades que o levam a comprar ou não seus produtos/serviços.

Através de perguntas que ajudem a determinar qual é o impulso que o faz fechar o negócio de compra será possível encontrar brechas potenciais para melhorar o posicionamento da sua marca. Foque em estabelecer o que o cliente quer e o que ele não quer de jeito algum no que diz respeito ao que sua marca oferece.

– O que o público escuta?

Essa pergunta se relaciona ao universo que cerca que o seu público que pode ser mais bem delineado a partir do entendimento de que tipo de música ele ouve, quais canais do YouTube acompanha, quais são suas séries e filmes favoritos além de quem são seus ídolos, isto é, pessoas em quem ele presta atenção e busca absorver o conteúdo.

Ter esse conhecimento ajudará a saber mais sobre como essas pessoas se comportam e o que elas esperam além de conseguir alinhar o discurso da sua marca com o discurso desses indivíduos. Hoje em dia, as marcas precisam estar em sintonia com as crenças das pessoas que pretendem impactar.

– O que o público vê?

O mapa de empatia propõe ainda que se trace um perfil do ambiente em que o público está inserido. Para chegar a esse objetivo é interessante saber onde seu público vive, quais os lugares que frequenta, como é o ambiente da casa dos familiares e dos amigos entre outros dados relativos que compõem a sua existência social. Nesse tópico também cabe se inteirar a respeito dos estímulos visuais que os integrantes do público recebem bem como aqueles que ele seleciona como prioritários.

– O que o público fala e faz?

Para compreender alguém é essencial analisar o que ela fala e o que ela faz prestando atenção que nem sempre o primeiro condiz com o segundo. As marcas que estão usando o mapa de empatia para entender quais são as melhores abordagens para seus consumidores devem focar nos seus discursos e também nos seus hábitos de consumo e estilo de vida. Com esse panorama é possível ter a construção de uma persona mais completa.

– Quais são as dores do público?

Para concluir o mapa de empatia é crucial determinar quais são as dores do público, ou seja, os desafios e potenciais obstáculos que existem em suas vidas especialmente no que diz respeito ao seu produto ou serviço. Conhecer as experiências anteriores e os momentos em que houve problemas ajuda a pensar em maneiras de criar experiências melhores.

– Quais as necessidades do seu público?

Com todas as informações relacionadas acima é possível identificar quais são as necessidades do seu público bem como suas expectativas e ideias relativas a novos posicionamentos que a marca pode vir a ter. Usar os dados obtidos para traçar novas estratégias para a sua organização é o que permite chegar ao desenho de estratégias ideais para o futuro.

Gostou de saber mais sobre o mapa de empatia? Então compartilhe em suas redes sociais!

 

Copyright:1070472446 – https://www.shutterstock.com/pt/g/favorita1987