O que pode ser feito para evitar a demissão de um colaborador?

O que pode ser feito para evitar a demissão de um colaborador?

Alguns assuntos, que envolvem o dia a dia de uma empresa, são considerados um tanto quanto delicados e nem todos conseguem lidar da melhor maneira com eles. Desafios como, atração e retenção de talentos, a alta carga tributária que é cobrada em nosso país, a crise econômica pela qual estamos passando, buscar se reinventar constantemente, para não perder posicionamento no mercado, tornar-se competitivo, para conquistar ainda mais clientes, e assim por diante, são algumas das situações que exigem do empresário e empreendedor, bem como de sua equipe, bastante resiliência para superá-las.
 
Além destas questões, há também a grande habilidade para lidar com as mais diversas situações que envolvem àqueles que têm a missão de lhe ajudar e ajudar a sua empresa a crescer: seus colaboradores. Neste contexto, um dos grandes desafios encontrados é a demissão de funcionários, que exige bastante jogo de cintura, não só para conversar com o profissional a ser demitido, mas também avaliar e chegar a conclusão de que o vínculo colaborador/organização deve ser, de fato, interrompido.
 
Diante disso, hoje resolvi compartilhar com você algumas dicas, assim como atitudes que você e sua equipe de recursos humanos devem realizar, antes de tomar essa decisão tão definitiva. Confira:
 

O que precisa ser avaliado antes de demitir?

 
Saber como demitir um funcionário, não é uma situações mais fáceis que acontecem dentro de uma empresa. São inúmeras as questões que giram em torno de uma demissão, que precisam ser muito bem administradas, para não gerar desconforto, desconfiança, insegurança e, principalmente, para não deixar os demais colaboradores desmotivados com o trabalho e com a organização como um todo.
 
Assim, é primordial avaliar alguns pontos, antes de tomar esta decisão, que pode gerar muito mais prejuízos, se for feita sem uma análise completa e detalhada, do que trazer benefícios para a empresa. Veja, a seguir, o que você deve levar em consideração e, talvez assim, evitar que injustiças aconteçam em sua organização.
 

Qual a responsabilidade da empresa?

 
Geralmente, quando se decide demitir um ou mais funcionários, avalia-se, principalmente, o que estes fizeram ou deixaram de fazer para que isso acontecesse. Com isso, um dos pontos que fica para trás é a responsabilidade da empresa nesta situação.
 
Entretanto, toda relação é uma via de mão dupla. Ou seja, as partes envolvidas são responsáveis pelo seu sucesso ou não. Dessa maneira, antes de demitir, verifique de que forma você e sua empresa deixaram de cumprir a sua parte perante o colaborador e veja qual a sua responsabilidade para que o comportamento dele tenha mudado e levado você a concluir que o melhor a se fazer é demiti-lo.
 
Assumir a responsabilidade sobre os atos é uma das premissas para a maturidade empresarial e também para evitar que ocorram injustiças em sua empresa.
 

Opte por uma conversa franca

 
Veja, que quando em me refiro à uma conversa franca, estou falando de um diálogo aberto, que busque entender os motivos que estão fazendo com que o colaborador não esteja dando o seu melhor no dia a dia. Assim, nesta conversa, evite apontar o que você enxerga de defeito nele ou ofendê-lo de alguma forma, pois isso pode gerar o efeito contrário do que se espera.
 
Ao invés disso, coloque-se à disposição para ouvi-lo, para compreender os feedbacks que ele tem a dar sobre você, bem como sobre a empresa como um todo, pois só assim é possível oferecer o apoio e a ajuda necessários para que mudanças significativas, de fato, aconteçam.
 

Tente remanejar

 
Em alguns casos, o desempenho e a produtividade de determinados colaboradores diminui, pois eles se encontram em cargos e realizando funções incompatíveis com seus perfis e aptidões profissionais, o que compromete, de forma considerável o seu trabalho e, consequentemente, os resultados da empresa.
 
Diante disso, antes de tomar qualquer decisão radical, converse com o colaborador, tente aplicar testes, com o apoio da área de recursos humanos, para entender suas competências e habilidades, no sentido de encontrar o cargo/função que mais se adequa a ele. Com isso, tenho certeza que tanto ele, quanto você e a empresa, terão inúmeros benefícios.
 

Faça os cálculos

 
Com certeza, manter um colaborador, no quadro de funcionários, que não rende e não entrega os resultados que a empresa espera dele, pode trazer muito mais dor de cabeça no futuro, do que demiti-lo. Entretanto, caso a demissão ocorra de forma precipitada, sem que haja uma análise do cenário como um todo, também pode gerar alguns prejuízos, no quesito financeiro.
 
Acontece, que demitir um colaborador é algo muito mais oneroso para a empresa, do que uma contratação, digamos assim. Isso porque os custos são inúmeros, como o pagamento de aviso prévio, caso este seja indenizado, férias proporcionais, o salário referente aos dias trabalhados, a multa de 40% sobre o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço – FGTS, entre outros. Neste contexto, é preciso pensar bem para não cometer equívocos, que podem muito bem ser evitados.
 
Veja que muitas atitudes podem ser tomadas antes de demitir o colaborador. Basta que se tenha paciência e uma boa análise de cenário, para compreender os acontecimentos e tentar elaborar estratégias para manter o funcionário no quadro. Um pouco de boa vontade, vence qualquer barreira e impede que você tenha ainda mais prejuízos em sua empresa no futuro.
 
E você, qual ou quais análises faz antes de tomar esta decisão Deixe o seu comentário e lembre-se de compartilhar este conteúdo com seus amigos em suas redes sociais.