Namoro no trabalho - Saiba mais sobre essa realidade possível

Namoro no trabalho - Saiba mais sobre essa realidade possível

Para muitos, o local de trabalho é uma excelente oportunidade para conhecer alguém por quem você possa de apaixonar. Isso não é difícil de acontecer, já que são 8 ou mais horas diárias que as pessoas passam no mesmo ambiente.
 
No entanto, os empregadores podem ter outra opinião sobre relacionamentos amorosos no trabalho. Muitos veem a ideia como uma potencial ameaça a produtividade ou mesmo um risco para casos de brigas ou assédio. Mas será que eles podem proibir?
 

O Que Diz a Lei?

 
Em primeiro lugar, devemos levar em consideração o que diz a lei: Nenhuma empresa tem o direito de proibir pessoas de se relacionarem, mesmo que sejam seus funcionários, pois isso fere os direitos de privacidade e pode acabar em ações trabalhistas.
 
A opção que a organização tem para se resguardar é criar uma política para evitar as demonstrações de afeto e intimidade dentro das suas instalações. Isso evita os problemas que vamos citar a seguir.
 

Possíveis Armadilhas de Relacionamentos no Trabalho

 
Veja algumas das razões mais comuns que levam os empregadores a não gostarem muito da ideia de ter funcionários em um relacionamento amoroso. São elas:
 
Perdas de Produtividade: Um casal costuma passar muito tempo conversando, seja pessoalmente ou por chats online, e pode acabar deixando o trabalho de lado por isso. Existe o risco, também, de haver problemas se o relacionamento se tornar alvo de fofocas, gerando distração para outros funcionários.
 
Atritos Entre Funcionários: O casal pode se desentender, atrapalhando a harmonia da empresa, ou, pior, pode acontecer uma disputa entre dois homens por uma mesma mulher ou vice-versa.
 
Favoritismo: Isso se torna um risco quando um dos parceiros está em uma posição de supervisão ou, de alguma outra forma, tem a chance de conceder favores para o outro.
 
Fim do Relacionamento: Todo relacionamento tem risco de chegar ao fim, o que nem sempre acontece de forma amigável. Se isso acontecer entre funcionários de uma mesma empresa, um pode começar a dificultar o trabalho do outro, espalhar intimidades para constranger o outro, etc.
 
Assédio: Se a empresa não tem nenhuma regra em relação a relacionamento amoroso no trabalho, as pessoas talvez se sintam mais a vontade para se aproximar umas das outras de maneiras não muito corretas. Exemplo: Se alguém em uma posição de supervisão chama um (a) estagiário (a) para sair exatamente no período em que será decidido se ele (a) será efetivado, isso pode ser um caso de assédio.
 
Pedidos de Demissão: Se houver algum problema no relacionamento, há a possibilidade de um dos dois, ou ambos, optar por deixar a empresa como forma de resolver a situação.
 

Dicas Para os Funcionários

 
Os relacionamentos amorosos, na grande maioria das vezes, começam de forma natural. Duas pessoas se conhecem, descobrem afinidades, se apaixonam. Não há como evitar. Se isso aconteceu com você e com alguém da mesma empresa em que trabalha, confira as dicas a seguir para viver um relacionamento tranquilo e sem problemas no trabalho.
 
Comunicação Discreta: Em hipótese alguma use os canais de comunicação da empresa para falar sobre sua vida pessoal. O ideal é que, durante o expediente, os assuntos pessoais sejam deixados de lado. Porém, se for algo importante e que precise ser falado com urgência, use seu celular pessoal rapidamente para enviar uma mensagem. Isso, claro, se a empresa permitir o uso do aparelho.
 
Discrição ao Falar Sobre o Relacionamento: O namoro no trabalho não precisa ser um tabu ou um segredo, basta que seja discreto. Isso inclui não ficar falando sobre o outro a todo o momento, muito menos contar sobre discussões e detalhes da intimidade do casal. Ninguém precisa saber se vocês brigaram ou se estão se dando bem.
 
Postura Profissional: O namoro não deve interferir na forma como você age no trabalho. Caso os dois precisem se falar por causa de questões de trabalho, façam isso da mesma forma que aconteceria se a conversa fosse com qualquer outro colega.
 
Namoro Com o Chefe: Os casos de namoro entre chefe e subordinado são um pouco mais complicados, pois pode haver a ideia de que o primeiro dará privilégios ao segundo. Para não dar margem para nenhum tipo de especulação, os dois devem agir da forma mais profissional possível. O chefe deve sempre se policiar para tratar a todos da mesma maneira.
 
Relacionamento Interpessoal: O relacionamento interpessoal entre os funcionários de uma empresa é muito importante. No caso de um namoro, pode acontecer de o casal se isolar do restante da equipe e isso não é nem um pouco positivo. Não deixe que o ciúme atrapalhe as relações profissionais.
 
Contato Físico: Demonstrações de carinho, como beijos e abraços, devem ser evitados a fim de manter a postura profissional que falamos em todos os itens anteriores. Contatos físicos mais intensos podem acabar em demissão por justa causa.
 

Nunca Deixe o Bom Senso de Lado

 
Para concluir, nunca deixe de lado o bom senso ao se relacionar com um colega de trabalho. O namoro é algo saudável e que faz parte da vida, não deve, e nem precisa, ser visto como negativo, mesmo que o casal trabalhe na mesma empresa.
 
Para evitar problemas, os gestores podem criar uma política sobre o namoro entre colaboradores, mas seguindo a lei e sem interferir na intimidade das pessoas.
 
E você, o que acha do namoro entre membros de uma empresa? Já passou por uma situação assim? Conte-me nos comentários.