Você sabe como deve ser feito uma crítica construtiva?

Você sabe como deve ser feito uma crítica construtiva?

Quando o assunto é criticar, parece que todos nós acionamos um botãozinho que nos torna especialistas nos mais diversos temas. Seja para dar conselhos para os amigos, julgar suas atitudes e comportamentos ou para dar um feedback para colaboradores, nós nos sentimos experts e prontos para falar tudo o que acreditamos ser “verdadeiro”, muitas vezes sem nos preocuparmos com a verdade do outro que está na nossa frente e muito menos com os seus sentimentos.
 
Situações como estas que relatei são mais comuns do que se imagina e acontecem com bastante frequência, principalmente agora, na era das redes sociais, em que todos acreditam saberem de tudo um pouco e terem a obrigação de emitir suas opiniões sobre que assunto for. Não tenho dúvidas de que você já viu, ouviu ou viveu algo do tipo.
 
No ambiente empresarial não é diferente. É o gestor que critica o colaborador e vice-versa, sem entenderem que precisam ser tomados certos cuidados para que tais críticas não impactem no trabalho que está sendo desenvolvido por cada um. Para entendermos quais as melhores práticas que devem ser adotadas no ambiente de trabalho, vou explicar para você a diferenças existentes entre crítica construtiva e destrutiva.
 

Tipos de críticas

 
Antes de criticar, e de continuar discorrendo sobre este assunto, é necessário conhecer os tipos de críticas que existem, bem como as consequências que cada uma delas pode ter no trabalho das pessoas e dentro de uma organização.
 

Críticas construtivas

 
É o tipo de crítica que é feita para ajudar o outro a melhorar sua performance, sua rotina de trabalho e seus resultados de forma geral. Ela é focada em aspectos relacionados ao desempenho da pessoa dentro da empresa, ao o que ela faz, como faz e de que forma pode fazer ainda melhor.
 
Quando a crítica é feita com o intuito de contribuir com o crescimento do colaborador, é possível observar que ele entende facilmente o que você está querendo dizer a ele e, em alguns casos, observa-se a mudança de comportamento e um curto espaço de tempo.
 
Além disso, a crítica construtiva traz benefícios a todos os envolvidos, já que, ao dar este tipo de feedback aos colaboradores, você também se coloca à disposição para ajudá-los no que precisarem, fazendo-os sentirem-se apoiados, o que impacta positivamente nos resultados da equipe e da empresa como um todo.
 

Crítica Destrutiva

 
Já a crítica destrutiva é focada em pontos da personalidade de uma pessoa, características que geralmente o indivíduo tem dificuldade de mudar ou melhorar em seu jeito de ser. Ela não contribui em nada para o crescimento de alguém, nem profissional e muito menos pessoal, pelo contrário, só serve para denegrir a imagem e a autoestima do colaborador.
 
Se os gestores, e até mesmo os colaboradores de uma empresa, têm o hábito de realizarem este tipo de crítica, é certo que o resultado disso são pessoas altamente desmotivadas, pois, em um cenário como este, é difícil encontrarem soluções e suporte para empregarem melhorias em seu cotidiano.
 
É importante entender e refletir sobre as diferenças existentes entre estes dois tipos de críticas, já que, como pudemos observar ao longo do texto, cada uma delas é determinante para o futuro e os objetivos que você planejou para a sua organização. Mantenha-se atento e evite assim cometer erros simples como estes, pois um feedback mal dado pode ser crucial para motivar ou desmotivar uma pessoa enquanto profissional.
 
Agora que você já sabe a diferença entre crítica construtiva e destrutiva, e as consequências de cada uma delas, deixe o seu comentário dizendo o que achou e como acontecem os feedbacks em sua empresa.
 
Lembre-se de continuar me acompanhando aqui em meu blog e em minhas redes sociais, pois todos os dias tem conteúdo novo para te ajudar a ser o melhor empresário e empreendedor que você pode ser.