Conheça os custos que um funcionário gera para a empresa

Conheça os custos que um funcionário gera para a empresa

Você sabe quanto custa um funcionário para a sua empresa, levando em consideração o salário e todos os encargos que recaem sobre ele? O cálculo que permite a verificação do custo de cada colaborador pode parecer complexo, contudo, com o entendimento dos pontos a serem abordados se torna bem simples e permite ter a certeza quanto à quantidade de pessoas a se manter nos quadros funcionais da companhia.
 

Quanto Custa um Funcionário?

 
A primeira questão a ser considerada em relação ao custo de um funcionário é que ele não se limita simplesmente ao valor do salário mensal. A organização deve custear, além do salário do colaborador, uma série de benefícios, obrigações e encargos que, no final das contas, acaba gerando um custo que chega a até 183%.
 
Uma pesquisa realizada pela FGV (Fundação Getúlio Vargas) concluiu que o salário equivale a cerca de 32% do custo do funcionário para a companhia, observando um vínculo de um ano. O restante dos custos refere-se ao pagamento de impostos e benefícios. Mas, afinal como fazer esse cálculo com assertividade?
 

Como Fazer o Cálculo de Custo de um Funcionário?

 
O custo de um colaborador é determinado pela soma de dois tipos de gastos: os diretos e os indiretos. Na categoria de gastos diretos estão aqueles que são pagos diretamente ao funcionário, como os seus benefícios e o salário. Os chamados custos indiretos são aqueles que se referem ao que é pago ao governo, dentre os quais estão os encargos que constam na legislação.
 

Fazendo o Cálculo na Prática

 
Para que fique mais claro como deve ser feito o cálculo para determinar o custo de um funcionário irei dar um exemplo. Nesse exemplo, vou usar como base um trabalhador que atua como ajudante de serviços gerais e recebe um salário de R$ 1.000,00 por mês.
 

Cálculo do Vale-transporte

 
Para que o funcionário do exemplo possa chegar à organização todos os dias, ele depende de dois ônibus, assim como deve pegar outras duas conduções para ir embora. Tomando por base o valor médio das passagens de transporte público do Brasil, R$ 4,50, chegamos a um valor de R$ 391,60 para atender aos 22 dias de trabalho de um mês.
 
A companhia arca com R$ 331,60 por mês, pois 6% do total é custeado pelo trabalhador. Deve ficar claro que, quanto menor for o salário do colaborador, mais a organização precisará pagar do total do vale-transporte.
 

Cálculo do Vale-alimentação

 
O valor do auxílio alimentação pode ser determinado pelo sindicato que rege a categoria. Seguindo no meu exemplo do ajudante de serviços gerais, temos um valor determinado de R$ 16,44. Considerando que são 22 dias úteis de trabalho por mês, chegamos a um valor de R$ 361,68. O custo para a organização fica em R$ 289,34, uma vez que 20% do valor é pago pelos funcionários.
 

Valor de Obrigações de Convenções Coletivas

 
Existem, ainda, os custos com obrigações determinadas em convenções coletivas, como plano de saúde, programa de qualificação profissional, seguro de vida, entre outros. De maneira geral, esses acordos costumam gerar um custo de R$ 65,00 por mês para a companhia.
 

Custos de Encargos Sociais

 

Custos Mensais

 
O empresário deve ter a percepção clara de que, ao contratar um funcionário, deverá arcar com mais do que somente o seu salário. Todo mês a organização deverá destinar 37% do valor líquido do ordenado para o custeio de encargos sociais. Tomando por base novamente o exemplo do salário de R$ 1.000, teremos R$ 290,00 destinados ao pagamento do INSS (29%) e R$ 80,00 de FGTS (8%).
 

Custos Variáveis

 
Além dos custos com encargos mensais, há, também, os custos variáveis, que aparecem em diferentes momentos do ano, como nas férias e no pagamento do décimo terceiro salário. Para tornar esses gastos menos impactantes, é interessante que o empresário os divida pelo ano todo, juntando uma parte a cada mês. Seguindo essa lógica, temos o valor mensal de R$ 83,30 para compor o décimo terceiro salário e as férias com adicional de 1/3 de R$ 110,00.
 

Custos Adicionais

 
Algumas empresas devem adicionar à sua conta alguns custos adicionais, como, por exemplo, o custeio dos uniformes dos colaboradores ou, mesmo, a necessidade de pagar benefícios, como licença-maternidade ou ter que cobrir o custo de ausência no trabalho por motivo de doença. É de extrema importância considerar esses custos antes que se tornem uma realidade, incluindo-os na conta de maneira a não ter prejuízos inesperados.
 

Chegando ao Final da Conta

 
Ao longo desse exemplo, para saber quanto custa um funcionário, acompanhamos os custos envolvidos para manter um funcionário que recebe mensalmente R$ 1.000,00. Somando os custos que citei chegamos ao valor final de R$ 2.514,00.
 
Vale destacar, contudo, que esse valor não é proporcional, pois, mesmo que o funcionário passe a receber o dobro, ainda terá o mesmo custo de vale-transporte e vale-alimentação. Tem ainda outras variáveis, como a companhia aderir ao Simples Nacional, que isenta as micro e pequenas empresas do pagamento de encargos como INSS.
 
Ficou mais claro como fazer o cálculo de quanto custa um funcionário? Se gostou do artigo, compartilhe!