Veja como identificar os recados que uma pessoa transmite pela linguagem corporal

Veja como identificar os recados que uma pessoa transmite pela linguagem corporal

Sabe a velha premissa que uma imagem vale mais que mil palavras? Pois então, substitua a expressão imagem por linguagem corporal e a premissa não perderá seu sentido original, continuará bastante verdadeira. Pesquisadores da Faap afirmam que linguagem corporal comunica mais do que a verbal, ou seja, muitas vezes vale mais que mil palavras mesmo! Os sinais não-verbais que o corpo comunica são mais importantes no ambiente corporativo do que muita gente imagina. O grande desafio está em saber como interpretar esses recados físicos que recebemos no ambiente de trabalho!
 
Estar atento a sua própria postura corporal pode ser um ponto importante para o desenvolvimento da sua carreira. Dominar a linguagem corporal significa ter coerência na comunicação, alinhar o que você diz com a palavra e o que você diz com a postura.
 
Transmitimos muito mais do que imaginamos por meio da nossa expressão física. Negligenciar a linguagem corporal não só empobrece as suas relações interpessoais como também compromete o seu sucesso em diversas situações profissionais.
 
Por exemplo, durante uma reunião se o funcionário ou diretor tiver fazendo um balanço sobre os resultados positivos da empresa daquele ano e mantiver uma postura com os ombros caídos ou desalinhados, é possível que ele acabe transmitindo desânimo e gere insegurança na equipe, mesmo que a idéia inicial tenha sido outra.
 
Da mesma maneira, um funcionário que mantém uma postura sempre retraída e cabisbaixa pode passar a impressão que não está aberto a novas idéias ou insatisfeito com a atividade que está exercendo.
 
Segurança e o equilíbrio são alguns dos adjetivos mais importantes para um bom profissional ter em mente na hora de um encontro de negócios ou apresentação específica de um projeto. Ou seja, uma postura corporal segura e equilibrada pode ser de grande valia para passar a imagem que se espera de um funcionário exemplar.
 
Nos parágrafos a seguir vou dar algumas dicas que irão ajudá-lo a entender o papel da linguagem corporal no universo do trabalho e algumas sobre como utilizá-la a seu favor! Vamos juntos aqui aprender a ler e a interpretar certos sinais do corpo dentro do universo corporativo.
 

Linguagem corporal e percepção

 
A linguagem corporal e a percepção caminham lado a lado. Você pode aprimorar suas habilidades de comunicação não-verbais por meio de medidas simples que irão trabalhar e aguçar a sua percepção. Por exemplo, abra espaço na agenda para pequenas experiências ao ar livre, como uma caminhada no parque ou na praia. É uma ótima oportunidade para sentir o vento no rosto, o impacto de cruzar com outra pessoa no caminho, a água nos pés, o barulho dos pássaros ou o ruído de cada passo no chão.
 
O exercício de observar essas sutilezas aos poucos vai abrindo os seus olhos para sua própria expressão corporal no dia a dia. Para quem se interessa em se aprofundar nessa descoberta, outra sugestão é ler e buscar informações sobre a sua anatomia.
 

Use a linguagem corporal a se favor no trabalho

 

Postura ao apresentar um projeto

 
Uma boa apresentação não é feita apenas de slides bem-feitos e palavras certas. Expressões faciais, posturas e até os gestos que cada orador escolhe também contam para a maneira como o público irá processar cada informação.
 

A importância do contato visual

 
Manter o contato visual com quem se fala ou com a platéia é importante para passar confiança ao espectador, olhar esse que deve ser acompanhado sempre por um semblante suave. Manter uma fisionomia que mostra tranqüilidade é essencial durante uma apresentação ou reunião corporativa, pois é a forma mais simples de transmitir a mensagem desejada e ganhar a atenção dos ouvintes.
 

Movimente-se com moderação

 
Ao ministrar uma apresentação ficar parado no mesmo ponto torna a apresentação monótona para quem a assiste, do mesmo modo que a gesticulação excessiva causam uma sensação de inquietude. Procure gesticular de maneira controlada e harmoniosa, evitando exageros.
 

Falar em pé ou sentado

 
Quando você está de pé tem mais mobilidade, o corpo inteiro para lidar, a interação fica mais rica. Sentado, ao contrário, o grau de liberdade é menor. Você tem menos recursos para complementar sua história. No entanto, quando o grupo é pequeno, muitas vezes não faz sentido ficar em pé. Nesse caso, a decisão sobre qual postura é mais adequada para cada reunião vai ficar a critério da sua percepção do ambiente e do momento.
 

Evite posturas incômodas

 
Os gestos e expressões faciais não são os únicos a demonstrar significados durante uma apresentação. A maneira como você dispõe os outros membros do seu corpo também tem essa função. Braços cruzado, pernas muito abertas, mão na cintura ou nos bolsos, por exemplo, são incômodas pra você e para quem observa. Podem dar uma falsa idéia de falta de disciplina, organização ou profissionalismo.
 

Cuidado com gestos que provoquem distração da platéia

 
Ainda falando sobre gestos que incomodam, tome cuidado com gestos como batucar dedos na mesa, enrolar o cabelo ou apontar o dedo para a platéia, isso pode puxar a atenção da platéia. Além disso, podem incomodar ou trazer insumos para julgamentos inesperados do público. Tem pessoas, por exemplo, que odeiam que aponte o dedo pra elas, se sentem intimidades. É o tipo de gesto que você deve evitar. Na dúvida, escolha gestos neutros, busque sempre naturalidade na sua postura.
 
Agora que você já sabe um pouco mais sobre como o corpo pode se comunicar no ambiente do trabalho mesmo sem o uso de palavras, fique atento e exercite sua leitura corporal. Busque sempre uma postura equilibrada e deixe o outro a vontade para se expressar com naturalidade.