Entenda tudo sobre a cadeia de suprimentos e saiba como colocar em prática

Entenda tudo sobre a cadeia de suprimentos e saiba como colocar em prática

O conceito de Cadeia de Suprimentos (Supply chain) remonta o ano de 1950, quando a Logística surgiu como uma ciência administrativa. A gestão dessa cadeia consiste no gerenciamento de uma rede interligada que envolve todo o procedimento de produto e serviço requerido pelo cliente. É o processo de movimentação de bens, pedido do cliente, englobando a aquisição de matéria prima e produção até a sua distribuição. Ou seja, o conceito compreende os processos de compra, armazenamento, transformação, embalagem, transporte, movimentação interna de distribuição e todo o suporte preciso para que isso aconteça.

A importância de uma boa gestão da Cadeia de Suprimentos

 

O mundo dos negócios está em constante movimento, já que se trata de um sistema dinâmico sujeito às mudanças do ambiente em que está inserido, seja ele de cunho social, tecnológico ou político. Dado o atual cenário econômico, temos então um ambiente competitivo que leva o empreendedor a buscar ferramentas para obter vantagens no mercado. Essas vantagens podem ser adquiridas por meio da adesão de diferentes estratégias, principalmente quando se trata do aumento de produtividade nos processos internos da empresa. Por esse motivo a gestão da Cadeia de Suprimentos é essencial para ganhos de vantagens competitivas, abrangendo não somente ganhos unilaterais, mas sim o esforço e ganhos mútuos das empresas envolvidas nessa cadeia.

Por exemplo: Você gosta quando a comida demora a chegar, quando está em um restaurante? Ou quando seu pedido vem errado? Tenho certeza que não! E é dessa maneira que os clientes se sentem quando suas expectativas não são supridas. Uma boa gestão da cadeia incide no aumento da eficiência de sua empresa, refletindo em um melhor atendimento e aumento na satisfação do consumidor.

Aplicação

Todo e qualquer modelo de gestão de cadeia de suprimentos deve proporcionar caminhos para melhoraria da eficiência das seguintes etapas:

  • Previsão e planejamento da oferta e demanda;
  • Localização de fornecedores de matérias- primas;
  • Fabricação de produto;
  • Armazenagem de produto;
  • Entrega de produto;
  • Devolução de produto pelo cliente, se necessário;
  • Feedback por intermédio do serviço de atendimento ao cliente;

É válido lembrar de que se você contém dados e números dessas etapas fica mais fácil gerenciá-las. Um histórico em mãos também ajuda na identificação de pontos frágeis de cada processo.

Dicas importantes:

  1. Tenha uma estratégia definida: Um planejamento tático e operacional dos fornecedores, desenvolvedores e transporte; é importante para que tudo seja coordenado antes mesmo da fabricação dos produtos e assim, você terá tudo alinhado. Bastante relevante também a elaboração de “planos B” para o caso de eventualidades ou emergências.
  2. Tenha mais de uma opção de distribuição: É interessante considerar alternativas e novos fornecedores, para garantir o prazo de entrega e devoluções, adotando o meio de transporte mais adequado ao produto.
  3. Considere a terceirização: Aderir à terceirização é um viés para baratear custos, já que muitas vezes o custo para produção ou transporte próprio não compensam.
  4. Aposte na comunicação: Essa prática contribui para agilizar os processos de pedido e entrega, por exemplo, podendo ser por meio de tecnologias de informação ou sistemas integrados.
  5. Escute o cliente: Ter o feedback do cliente é essencial para saber se todas as etapas da cadeia de suprimentos está funcionando em harmonia, auxiliando também na identificação dos pontos frágeis e fortes da empresa.

 

Por fim, a agilidade e custo podem ser determinantes para o sucesso ou fracasso. Sendo assim, quanto mais próxima de uma parceria forem as relações com seus fornecedores e clientes, maiores são as chances de todos estarem envolvidos e comprometidos no mesmo intuito de oferecer o melhor produto ao consumidor.