O sucesso de uma empresa depende de fatores como gestão de pessoas e processos assertivos!

O sucesso de uma empresa depende de fatores como gestão de pessoas e processos assertivos!

 

Para levar seu negócio ao topo, antes de tudo, é preciso saber que sua jornada no universo do empreendedorismo será repleta de desafios.  Empreender é uma missão que exige muito de nós, não basta apenas sonhar alto, ter um serviço ou produto inovador e muitas ideias na cabeça. Este processo vai além, uma vez que para conduzi-lo também é preciso ter uma visão clara, ações assertivas e que realmente sejam capazes de nos guiar ao alcance dos resultados que buscamos.

Como tantos brasileiros, eu comecei a empreender muito cedo, como pouco mais de 20 anos e, se hoje eu compartilho com outros empreendedores meus conhecimentos e experiências práticas, adquiridas dentro de uma empresa, é porque conheço bem quais são suas dificuldades e dores.

 

Faço isso porque sei que por mais que você estude, tenha um diploma acadêmico ou alguma experiência no mercado, especialmente no início, este é um caminho muito solitário. A grande sacada é que no dia a dia são estas mesmas dificuldades que nos ensinam tudo que precisamos saber para evoluir e construir um negócio bem-sucedido e duradouro.

E se em pouco mais de cinco anos eu sai de uma empresa com apenas três funcionários (um deles era eu) para uma com mais de 150 colaboradores, com faturamento multimilionário, não foi sorte, mas sim resultado de muito foco, dedicação e dos aprendizados que obtive neste período. Um deles consiste em compreender as quatro fases do crescimento de um negócio, ou seja, as etapas pelas quais o empreendedor vai passar até transformar-se num verdadeiro empresário.

Continue lendo e saiba quais são elas!

As 4 Fases de Crescimento de um Negócio

negócio

Vectorstockstoker/Shutterstock Conheça e entenda quais são as 4 etapas do crescimento de uma empresa

Fase 1 – Sobrevivência/ Confirmação – este é o estágio onde o empreendedor está focado em manter sua empresa viva, pagar as contas, honrar seus compromissos, captar novos recursos, ter capital de giro e fazer seu negócio se confirmar como um modelo de negócios possível de ser praticado. Neste estágio inicial, o fundador ou dono da empresa é que toma todas as decisões e também é quem geralmente banca os investimentos, muitas vezes, colocando seu patrimônio em risco. Os objetivos e metas ainda são pensados em curto prazo e não são trabalhados de forma muito clara.

Aqui é importante que, desde o início, a eficiência operacional seja um dos pressupostos, uma das marcas da gestão da empresa, de modo que assim o empreendedor consiga sempre fazer mais, dispondo de menos recursos para isso.

Competências necessárias – planejamento financeiro, controle de custos, gestão eficiente do dinheiro e dos recursos disponíveis.

Fase 2 – Captação de Talentos –  neste segundo momento, o empreendedor  já entende que não consegue dar conta de tudo sozinho e também a importância de contratar talentos, “gente boa”, profissionais especializados em determinadas áreas (Vendas, Financeiro, Gestão de Pessoas, Marketing, por exemplo) para lhe ajudar atender as crescentes demandas do seu empreendimento junto ao mercado, fornecedores, parceiros e seus clientes.

Competências necessárias – recrutamento e seleção de pessoas; liderança inspiradora; treinamento e desenvolvimento da equipe; retenção de talentos.

Fase 3 – Definição dos Processos – nesta fase por melhores que sejam os profissionais contratados, a falta de processos se torna um gap importante do negócio e, portanto, vira um importante foco da atenção do empreendedor. Chega a hora, então, de definir quais são as diretrizes da empresa e os procedimentos que devem ser seguidos por todos os departamentos e pessoas ao executar suas tarefas.

Este alinhamento é fundamental para que os processos sejam orientadores do trabalho a ser feito, independente de quem o faça. Digo isso porque em empresas sem processos é comum que ao sair de uma função, apenas aquele colaborador que fazia aquela atividade, saiba o que fazer. Isso atravanca os demais processos e prejudica a produtividade de modo geral.

Outro ponto – chave é a definição da cultura organizacional, uma vez que ela é onipresente, ou seja, é o que as pessoas fazem quando você não está vendo. Portanto, se este conjunto de hábitos, valores, preceitos e crenças estão bem alinhados e incorporados às ações da sua equipe, os processos tendem a ser respeitados e seguidos fielmente por todos.

Competências necessárias – orientação para processos, planejamento estratégico; diretrizes claras; política da qualidade; cultura organizacional, indicadores de desempenho.

Fase 4 – Excelência – este é o momento onde todo empreendedor sonha em chegar, pois é quando todos as etapas anteriores estão funcionando perfeitamente e surtindo os resultados desejados. Para isso é essencial que haja o alinhamento entre Pessoas e Processos, conforme preconiza o modelo PPR , ou seja, processos claros e profissionais competentes e preparados para fazê-los, bem como para atender as demandas da empresa e ajudá-la a crescer cada vez mais.

Competências necessáriasvisão sistêmica, estratégia de negócios, formação de líderes, delegação assertiva, retenção dos talentos, foco em melhoria contínua.

Estas são as quatro principais fases do crescimento de um negócio, os desafios, exigências e também as competências que o empreendedor precisa desenvolver para conduzir sua empresa e levá-la ao sucesso.

Desafios APós as 4 Fases do Crescimento da Empresa

negócio

kmlmtz66/Shutterstock Conheça os desafios das empresas que chegou à excelência!

  • Estabilizar o modelo de negócio (definir qual o modelo certo para sua empresa);
  • Controlar os gastos e fazer uma gestão eficiente dos recursos;
  • Definir o plano de negócios do empreendimento (visão de longo prazo);
  • Implantar ferramentas de gestão de pessoas, processos e TI;
  • Aperfeiçoar e melhorar os serviços ou produtos ofertados;
  • Consolidar a marca no mercado e fazê-la crescer;
  • Reter os talentos e mantê-los eficientes e produtivos;
  • Alinhar as expectativas dos sócios e investidores;
  • Definir o modelo tributário ideal para sua organização (Simples; Lucro Presumido ou Lucro Real…);
  • Avaliar a entrada de novas fontes de investimento (públicas e privadas)
  • Instaurar programas de treinamento e desenvolvimento dos profissionais.

Este são alguns dos desafios e oportunidades que empreender seu próprio negócio traz. Se no início, quase sempre começamos sozinhos, à medida que a empresa cresce precisamos formar uma equipe gabaritada, delegar e atribuir responsabilidades específicas a cada profissional especializado e focar em traçar estratégias que de pontuais, passem a ser de longo prazo.

Para isso, como vimos na fase três, é essencial que os seus processos sejam muito bem definidos e orientados para resultados. Assim, quanto mais claros são seus procedimentos, políticas e diretrizes, maiores também são as chances dos seus colaboradores executarem corretamente suas tarefas. Isso impacta direta e positivamente em sua produtividade, na eficiência operacional no e desempenho coletivo e individual dos funcionários.

Tudo isso é o que faz com que aquele seu sonho, lá do início, se torne uma visão que se transforma em realidade e que de empreendedor, você passe a ser um verdadeiro empresário. Como reflexo disso, além da excelência, você conquista o respeito dos seus colaboradores, parceiros e fornecedores e a admiração dos seus clientes.

Essa soma é o que ajuda a construir uma reputação positiva no mercado e a expandir seu negócio em todas as direções. Assim, mais do que dinheiro ou riqueza, você estará construindo uma empresa realmente com legado.

Gostou do texto? Deixe seu comentário sobre o tema abaixo e compartilhe esta postagem suas redes sociais!