Mark Zuckerberg - O que ele tem a ensinar aos empreendedores?

Mark Zuckerberg - O que ele tem a ensinar aos empreendedores?

Mark Zuckeberg é conhecido por ter criado a rede social mais utilizada em todo o mundo, o Facebook. O site, que começou como uma brincadeira na universidade, se tornou uma das ferramentas mais utilizadas para conectar pessoas, além de oferecer ótimas oportunidades de negócios para empresas divulgarem suas marcas e, até mesmo, vender produtos. Com toda a sua experiência em negócios, certamente Mark tem muito a ensinar aos empreendedores, e é exatamente sobre isso que falarei no decorrer deste artigo.
 

Lição 1: Paixão Pelo Que Faz

 
Mark Zuckeberg é um apaixonado por tecnologia e, por diversas vezes, já disse que a sua intenção ao criar o Facebook era conectar os alunos da Universidade de Harvard. Com o grande sucesso entre os estudantes, o site foi expandindo e hoje é usado para conectar pessoas de qualquer lugar do mundo. Tudo isso certamente se deve ao conhecimento e à paixão de Mark pela ideia, pois se ele realmente não acreditasse que poderia dar certo, dificilmente teria prosseguido.
 
Quando uma pessoa tem paixão pelo que faz, ela acredita naquilo e faz de tudo para dar certo. É praticamente o mesmo que acontece em um relacionamento amoroso, por exemplo, pois ninguém insiste para estar ao lado de alguém por quem não sente paixão. Por isso, a primeira lição que podemos aprender com o criador do Facebook é a de fazer aquilo pelo qual você sente paixão.
 

Lição 2: Diploma Não é Tudo

 
Mark não chegou a concluir a faculdade, pois percebeu que o conteúdo ensinado nas aulas não o ajudaria em sua carreira. Então, achou melhor abandonar o curso para se dedicar à rede social. Isso não significa que todos devem fazer o mesmo, mas serve para mostrar que o diploma não é tudo e é necessário buscar conhecimento de outras fontes para fazer a diferença.
 
Entre um candidato a emprego que tem o diploma de uma grande universidade e outro que tem paixão pelo que faz, Mark certamente escolheria o segundo. A lição que fica é: não resuma seu currículo a um diploma, é preciso sempre buscar mais e, claro, acreditar no seu talento e na área em que deseja atuar.
 

Lição 3: Valorização das Pessoas

 
O dono do Facebook oferece aos seus colaboradores um modelo inovador de emprego. O trabalho deles não se resume a cumprir tarefas relacionadas ao que é obrigatório para o andamento da empresa. Todos eles têm liberdade para se dedicar a novos projetos, que podem ou não ter ligação com a rede social. Esta é uma estratégia que tem como principal objetivo manter os funcionários motivados.
 
Muitos podem pensar: Mas o que um gestor tem a ganhar ao permitir que os seus colaboradores utilizem parte do expediente para outros projetos? A resposta é simples: Mantê-los motivados a sempre buscar soluções inovadoras para a empresa.
 

Lição 4: Sem Medo de Inovações

 
Desde que o Facebook saiu de Harvard e se tornou um site utilizado por pessoas de todo o mundo, ele já passou por diversas modificações. As mudanças geraram muitas reclamações por parte dos usuários, mas Mark nunca deixou de inovar por conta das críticas. Isso se deve, mais uma vez, ao fato de que ele tem paixão pelo que faz e acredita em todas as melhorias feitas na rede social.
 
Costumamos sempre nos basear na frase que diz que o cliente tem sempre razão, mas é importante manter o equilíbrio para não deixar de inovar por resistência dos consumidores. Mesmo com tantas reclamações, o Facebook só vê seu número de usuários aumentar, isso porque o site soube insistir quando sabia que as mudanças seriam para melhor.
 

Lição 5: Descentralização do Poder

 
Mark Zuckeberg é o nome mais lembrado quando falamos sobre o Facebook, mas já há algum tempo, ele não é o único a tomar decisões importantes dentro da empresa. O grupo de investidores também tem voz ativa nas decisões tomadas. Essa descentralização do poder só tem a fortalecer a empresa, já que não sobrecarrega o gestor e abre espaço para novas ideias.
 
Outra pessoa com a qual Mark divide as responsabilidades é Sheryl Sandberg, a chefe de operações do Facebook. Os dois formam uma dupla em que um complementa o trabalho do outro. Ele afirma que enquanto ele se ocupa ao formular ideias, Sheryl é a responsável por executá-las.
 

Lição 6: Sem Ganância

 
Quando o Facebook conquistou o mundo, houve um boato de que, após usar o site por determinado tempo, os usuários precisariam pagar se quisessem continuar desfrutando dele. Isso nunca se confirmou e, mesmo após diversos anos desde o seu surgimento, continua sendo gratuito.
 
Se Mark fosse ganancioso, certamente se aproveitaria do sucesso para querer ganhar mais dinheiro, porém ele preferiu lucrar apenas com os anúncios no site. Dessa forma, os usuários continuam felizes por continuarem utilizando a ferramenta para se conectar com outras pessoas gratuitamente e as empresas conseguem o retorno desejado sobre os anúncios. Ao invés de se aproveitar de todas as formas possíveis para ganhar dinheiro, ele optou por um modelo de negócio mais inteligente.
 
Qual das lições de Mark Zuckeberg você acredita ser a mais importante? Compartilhe sua opinião comigo nos comentários.