Pecados Capitais do Empreendedorismo

Pecados Capitais do Empreendedorismo

O empreendedor ao entrar no mercado está sujeito a cometer um ou mais dos sete pecados capitais do empreendedorismo que podem levar o seu negócio a naufragar em pouco tempo. Conhecer essas ‘armadilhas’ e evitá-las é fundamental para quem deseja fazer da sua empresa rentável e permanente no seu segmento. Os pecados a que os empreendedores estão sujeitos podem se manifestar em diferentes situações e ter consequências bastante graves.

Conheça os sete pecados capitais do empreendedorismo e como evitá-los

A seguir vou explicar detalhadamente quais são os sete pecados capitais que podem afetar a vida dos empreendedores e de que maneira evita-los.

Pecado da preguiça – Deixar para amanhã o que pode ser feito hoje

A preguiça é entre os sete pecados capitais do empreendedorismo um dos mais graves haja vista que atinge muitos empresários que acabam ficando acomodados acreditando que se não der para fazer hoje é possível fazer amanhã. Contudo, esse amanhã pode ser tarde demais, os seus concorrentes já podem ter feito e conquistado os consumidores. Ter um planejamento em que se estime aonde se quer chegar num determinado período de tempo é crucial para não cair nessas armadilhas do comodismo.

Pecado da gula – Tentar ganhar muito dinheiro muito rápido

Obviamente que quem decide se tornar um empreendedor tem como objetivo obter lucros para poder ter uma vida confortável. No entanto, alguns empresários no afã de ganhar muito dinheiro rapidamente podem fazer negócios que se tornam ruins a longo prazo. Nessa etapa de consolidação do empreendimento é fundamental ter cuidado antes de sair fechando vários negócios.

Faça um estudo preliminar observando quais são as chances a médio e longo prazo do negócio dar realmente certo para somente depois se comprometer e fechar parcerias. Fique atento a eventuais parceiros comerciais que parecerem atraentes demais a uma primeira vista, a gula por lucros pode levar seu negócio a ruína.

Pecado da ira – Não terceirize culpas

Quantas pessoas que você conhece já reclamaram a respeito de algo que não deu certo em suas vidas e culparam terceiros por isso? Uma atitude corriqueira da vida pessoal que pode ser vista também no âmbito profissional, infelizmente. Geralmente a ira está atrelada a terceirização da culpa, ou seja, o problema é sempre resultante das ações de outras pessoas. Aprender a reconhecer seus erros e focar em encontrar soluções é sempre mais efetivo do que fica no eterno jogo de ‘a culpa não é minha’.

Pecado da inveja – Aprenda com o que seu concorrente faz melhor

Passar seu tempo de empresário com inveja do sucesso dos concorrentes não ajudará a alavancar o seu próprio negócio. A melhor forma de chegar ao sucesso é fazer uma análise do que tem dado certo para as concorrentes e a partir disso traçar seu plano. Tente descobrir quais são as brechas que existem no mercado, quais são os nichos que não está sendo devidamente atendidos. Com um bom plano é possível conquistar seu próprio espaço no mercado.

Pecado da soberba – Acreditar que pode fazer tudo sozinho

Muito se fala sobre a dificuldade que alguns empreendedores têm de delegar tarefas centralizando as atividades da companhia e podendo ter sérios problemas para conduzir os negócios a médio e longo prazo. Em alguns casos isso acontece em especial pela soberba de acreditar que podem resolver tudo por si e não precisam de ninguém em posições de tomada de decisão estratégica.

O gestor inteligente é aquele que reconhece as qualidades dos seus colaboradores delegando tarefas com assertividade tendo dessa forma mais tempo para se dedicar a tarefas mais relevantes.

Pecado da avareza – Não investir no negócio

Esse pecado está atrelado à ideia de que se deve buscar por lucros já na primeira semana de funcionamento do empreendimento. Isso não dá certo porque o negócio precisa de um tempo para se estabilizar e formar uma clientela fidelizada. Nos primeiros meses e em alguns casos nos primeiros anos é fundamental fazer novos investimentos para manter a empresa com boa capacidade operante.

Uma das regras de ouro para que sua companhia tenha chances de sobreviver no mercado é contar com capital de giro (valor necessário para que o empreendimento se mantenha operante) de pelo menos seis meses. A paciência é uma virtude essencial para ter chances no universo empreendedor.

Pecado da luxúria – Deixar suas emoções se sobreporem a razão

No contexto empreendedor a luxúria diz respeito a deixar que as emoções dominem se sobrepondo a questões de ordem prática. Quando alguém decide abrir uma empresa o faz também porque ama o mercado em que irá se inserir, porém, isso não é justificativa para deixar de lado a racionalidade. No dia a dia de funcionamento da companhia é natural que em alguns momentos as coisas não saiam como esperado. Saber desviar do caminho imaginado em prol do que é mais relevante para os negócios é uma das grandes sabedorias que o empresário pode desenvolver.

Quais desses sete pecados capitais do empreendedor você já cometeu? Compartilhe sua experiência nos comentários!

 

Copyright:237397048 – https://www.shutterstock.com/pt/g/deymosd