Daniel Dias, da natação, é um dos  atletas paraolímpicos mais vencedores da história do nosso país

Daniel Dias, da natação, é um dos atletas paraolímpicos mais vencedores da história do nosso país

Depois de testemunhamos olimpíadas magistrais, no Rio de Janeiro, chegou a hora do Brasil e do mundo também conhecer o poder das Paraolimpíadas, um evento esportivo diferente, pois é onde atletas se tornam na verdade super-heróis e demonstram, na prática, o real sentido da palavra superação.

Talvez muitos ainda não tenham se atentado ao que representa estes jogos, por isso mesmo resolvi fazer uma provocação neste texto e trazer uma reflexão sobre o que nós empreendedores podemos aprender com os atletas paraolímpicos. Para isso, vamos conhecer algumas histórias surpreendentes e que somente comprovam que as limitações e deficiências só existem na mente de quem não acredita em si mesmo. Continue lendo e confira!

3 História de Superação Para Te Inspirar

 

Daniel Dias – Natação

Globo Esporte Daniel Dias, da natação, é um dos atletas paraolímpicos mais vencedores da história do nosso país

Daniel Dias, nadador, é um dos maiores atletas paraolímpicos do Brasil e do mundo. Somando suas participações nas paraolimpíadas de Londres (2012) e Pequim (2008), este prodígio já conquistou 15 medalhas, sendo que 10 são de ouro, quatro de prata e uma de bronze. Fantástico! No último Parapan, realizado em Toronto, no Canadá, também conquistou nada menos que oito medalhas de ouro.

Nascido sem as mãos e os pés, sua deficiência física nunca foi um obstáculo, mas sim a mola propulsora de sua vontade de vencer os inúmeros desafios que a vida lhe trouxe desde o seu nascimento.  Com o apoio da família, Daniel encontrou na natação um ambiente seguro, e dentro da piscina realizou seu destino que é ser um verdadeiro campeão.

Casado e pai de dois filhos, quando não está competindo, acredite, um de seus maiores hobbies é tocar bateria, o que faz muito bem por sinal. Se exemplo inspira a todos e nos mostra que deficiências não existem.

Terezinha Guilhermina – Atletismo

Rádio Globo Terezinha Guilhermina, do atletismo, é a corredora paraolímpica mais veloz do mundo

A atleta paraolímpica mais rápida do mundo, a corredora Terezinha Guilhermina nasceu em Betim, no interior de Minas Gerais, e desde criança apresentava dificuldades para enxergar, o que se tornou uma cegueira definitiva em decorrência de uma doença chama retinose pigmentar.

A décima filha de uma família humilde, composta por 12 irmãos, nasceu numa carroça. Muito pobre, ela conta que com a primeira premiação que ganhou correndo, cerca de 80 reais, sentiu-se “rica” e finalmente pode comprar o iogurte que tanto sonhava experimentar quando pequena e, que pela falta de condições financeiras nunca tinha sido possível até então.

O mais surpreendente é que seu problema na visão nunca foi uma desculpa para Terezinha desistir dos seus sonhos, pois ela aprendeu desde cedo a literalmente correr atrás do que queria. Com isso, nossa atleta já conquistou seis medalhas paralímpicas, sendo três de ouro, uma de prata e duas de bronze e também acumula diversos títulos importantes em competições internacionais e nacionais.

Amy Purdy – Snowboard

Picsofcelebrities Amy Purdy, campeã de snowboard, não deixou que a amputação de suas pernas limitasse sua vida

A americana Amy Purdy não nasceu com nenhuma deficiência física, mas aos 19 anos viu sua vida mudar completamente por conta de uma grave meningite, doença que obrigou os médicos a amputarem suas pernas do joelho para baixo.  Além disso, por conta desta infecção bacteriana também ficou surda do ouvido esquerdo e perdeu um de seus rins.

Tudo impactou profundamente sua vida e adaptar-se à nova realidade foi um grande desafio, superado graças ao apoio da família e a uma mudança rápida de mindset. Foi quando ela deixou de focar nos aspectos negativos de sua doença e passou a enxergar as vantagens que aquilo poderia lhe trazer.

E sabe no que ela pensou?  Primeiro, que poderia ter o tamanho/altura que escolhesse agora; segundo que, como gostava muito de esquiar, sem a parte inferior das pernas, ela não sofreria mais com frio nas pontas dos dedos e por fim, que poderia ter o tamanho de pé e sapato que quisesse.

E esse foi só o começo de sua recuperação. Com o auxílio de próteses, sete meses depois da amputação, ela voltou não apenas a caminhar, como também a esquiar e atualmente é campeão mundial de snowboard, sendo medalhista de bronze nas paraolimpíadas de 2014, em Sochi. Além de atleta, ativista, modelo e atriz, Amy também é uma excelente dançarina e um exemplo de como tudo é possível para quem tem uma mente forte e não desiste de si mesmo.

Mas e o que isso tem a ver com você e o seu negócio?

 

Escolhi estes três exemplos de superação para que você empreendedor possa perceber que não existem limites que impeçam uma pessoa determinada de realizar seus próprios sonhos, metas e objetivos, sejam eles no esporte, na vida ou nos negócios. Muitas vezes, mesmo sem nenhum tipo de deficiência física, nós não andamos, não evoluímos, ficamos estagnados, na zona de conforto e não progredimos por medo de tentar algo novo e fracassar.

Do mesmo modo, nossa empresa não vai para frente quando não queremos enxergar os nossos problemas, erros e suas fraquezas e ameaças, quando não investimos em seu crescimento e, principalmente, quando o empresário tenta ignorar sua própria necessidade de mudar sua forma de pensar e gerenciar seu empreendimento.

Lembre-se disso e também que sua empresa só cresce quando você cresce como empreendedor e líder, reconhece suas limitações e busca formas efetivas para eliminar seus gaps e potencializar suas competências e diferenciais. É isso que faz um atleta paraolímpico, inspire-se em seus exemplos e leve seu negócio para o próximo nível.