Abrir empresa com um amigo é um bom negócio?

Abrir empresa com um amigo é um bom negócio?

Para muitas pessoas parece ideal abrir uma empresa com um amigo de longa data por imaginar que a relação ajudará a impulsionar o negócio para o sucesso. No entanto, na prática, as coisas não são bem assim, pequenos atritos podem se tornar problemas tão difíceis de resolver que resultam no fim da sociedade antes de a empresa completar seus primeiros dois anos de vida.
 

O Que Devo Considerar Antes de Abrir uma Empresa Com um Amigo?

 
Para quem está pensando em abrir um negócio com um amigo, é essencial considerar algumas questões que impactam no sucesso ou fracasso do empreendimento. Em primeiro lugar, os sócios devem ter em mente que a sociedade os obrigará a passar ainda mais tempo juntos. As pessoas são diferentes quando estão em momentos de lazer e de trabalho.
 
Se mesmo na relação social de amizade você e seu amigo já têm algumas desavenças, devido ao gênio ou comportamento um do outro, devem lembrar que esses traços de personalidade muitas vezes se estendem ao trabalho. Há, ainda, casos em que a parceria leal da amizade não se repete no meio empresarial. Lembre-se de que para muitas pessoas os amigos ficam à parte dos negócios.
 

Questões a Serem Consideradas

 
Para quem não tem uma resposta clara sobre tocar em diante um projeto profissional com amigos, recomendo que responda às questões que listei abaixo. Essas perguntas servem para te ajudar a refletir sobre como essa empresa pode funcionar ou não dado o contexto desse relacionamento de amizade.
 

Há confiança mútua entre vocês?

 
Acredita-se que amigos confiam uns nos outros, porém, em algumas situações, o relacionamento pode não ser o bastante. Quando se trata de abrir um negócio em sociedade é fundamental que o sócio escolhido seja uma pessoa idônea e sem problemas com a Justiça, por exemplo. Você percebe no seu companheiro de empreitada algumas atitudes pouco éticas, por menores que sejam? Acredita no potencial dele como gestor? E ele confia em você para delegar tarefas relevantes?
 

Seu sócio representa a imagem da marca?

 
Estar à frente de uma empresa significa personificar a marca, então você e seus sócios serão a imagem que os clientes terão do negócio. Pode ser muito divertido brincar com o visual desleixado do seu amigo quando vocês saem para a balada, porém, no dia a dia do escritório, não dá para relevar esse problema. Os empresários podem chegar a um acordo sobre uma forma padrão de todos se vestirem ou, então, estabelecer quem irá tratar pessoalmente com os clientes. Imagem pessoal diz muito sobre a marca para quem procura uma empresa.
 

Qual a contribuição, em termos de conhecimento, que ele agrega?

 
Quando estamos escolhendo amigos, buscamos por pessoas que sejam divertidas e interessantes, mas quando estamos procurando por um sócio as características consideradas devem ser outras. O seu sócio deve ser uma pessoa que complemente o seu perfil empreendedor ou que ofereça um conhecimento técnico essencial para que o negócio dê certo.
 
Por exemplo, se você não tem experiência com gestão de finanças e seu amigo é um contador formado, é uma peça importante para o bom andamento da administração. Outro exemplo é se você deseja abrir uma empresa que desenvolva aplicativos e seu amigo já passou por grandes empresas da área tecnológica. Os sócios não podem ser escolhidos apenas pela amizade.
 

Ele tem a disciplina necessária para cumprir os compromissos de trabalho?

 
Aqui entra outro ponto que pode não te chatear no convívio social, mas que pode se tornar uma rusga difícil de resolver no trabalho. Se o seu amigo tem dificuldades de chegar no horário quando vocês combinam de sair para comer uma pizza, você pode nem comentar para não criar um mal-estar, contudo, se ele atrasa ou não aparece numa reunião com um cliente é fundamental reconsiderar a parceria. Antes de fechar a ideia de abrir uma empresa entre amigos é bom conversar sobre a diferença da vida social e do trabalho.
 

Então Não Vale a Pena Entrar Numa Sociedade Com um Amigo?

 
Acima mencionei alguns pontos que podem levar a sociedade a um fim nada agradável, porém, não significa que isso acontecerá com você e seu amigo. A diferença entre as sociedades de amigos que vão para frente e as que terminam junto com o relacionamento, está na forma como ambos encaram abrir uma empresa, isto é, levar a sério procedimentos, como ter um contrato.
 
Para aqueles que estão estruturando uma empresa entre amigos, a dica é, além de ter um contrato redigido por um advogado em que estejam claros os direitos e deveres, que se leve a história de amizade em consideração num viés profissional. Ao invés de usar da intimidade que existe entre vocês para tornar o trabalho mais impessoal, é interessante ter em mente quais são os pontos fortes e fracos de cada um na hora de distribuir as tarefas.
 
Lembre-se que abrir uma empresa com um amigo não deve significar um fim prematuro, nem para a amizade e nem para o negócio. Gostou das dicas? Compartilhe!