Saiba mais sobre a carta de demissão e conheça as informações obrigatórias que devem ser contidas nela.

Saiba mais sobre a carta de demissão e conheça as informações obrigatórias que devem ser contidas nela.

Receber uma carta de demissão de um funcionário nem sempre é uma tarefa simples, pois, a partir do desligamento do mesmo, será necessário encontrar um substituto, assim como certificar-se de que está tudo em dia no departamento pessoal em relação a aquele que está saindo. Nos últimos anos, o mercado de trabalho se tornou mais competitivo, aumentando a rotatividade de profissionais de diferentes áreas, com isso os gestores precisam estar preparados para o desafio das cartas demissionais.

Leis Trabalhistas – Se atualize! Inscreva-se no meu canal. Inscreva-se agora!

O Que é Carta de Demissão?

Trata-se do documento formal, através do qual o colaborador informa que deseja se desligar da companhia, rescindindo o seu contrato. Nessa carta devem estar expostos os motivos que levaram o funcionário a tomar tal decisão. Ela funciona como um aviso formal para a companhia e deve ser entregue com alguma antecedência para que se tenha tempo hábil para realizar os trâmites do departamento pessoal, assim como dar início ao processo de busca por um substituto (esse período é o aviso prévio, explicarei com mais detalhes no decorrer do artigo).

Ressalto que, em muitas organizações, os colaboradores que desejam sair de suas funções podem avisar verbalmente os seus empregadores num primeiro momento para, então, formalizar o pedido através da carta de demissão, nesse caso ela é uma formalidade e não o aviso em si.

Processo de Pedido de Demissão

Visando tornar eventuais pedidos de demissão menos conflituosos, tanto para os colaboradores como para os empregadores, é possível estabelecer um procedimento padrão em sua organização. Uma forma mais prática de organizar esse momento é solicitar que os interessados em sair da companhia comuniquem primeiro seus gestores imediatos, para que esses encaminhem as solicitações ao departamento pessoal.

Contudo, esse método pode funcionar apenas como sugestão, uma vez que por lei o trabalhador pode se dirigir diretamente ao departamento pessoal para solicitar sua demissão. Após essa conversa com o gestor, o colaborador deve redigir a carta de demissão, de próprio punho, explicando porque está se demitindo. O teor da carta deve ser simples e direto, para que possa ser produzido pelo indivíduo sem mais delongas.

É essencial que a carta seja de autoria somente do indivíduo para que não haja brecha para futuras ações trabalhistas sob o pretexto de coação ou constrangimento para assinar algo. O RH deve orientar o colaborador a copiar de próprio punho ou tirar xerox da carta entregue para que tenha uma cópia.

Informações Obrigatórias Para a Carta de Demissão

A seguir listei todas as informações necessárias que devem ser observadas pela empresa numa eventual carta de demissão.

Dados pessoais: a carta deverá ter o nome completo de quem está pedindo demissão.

Dados da empresa: é importante que esteja na carta o nome da organização e o cargo que o indivíduo ocupa.

Período de aviso prévio: abaixo vou explicar como funciona as regras do aviso prévio, na carta deverá estar indicado o período do mesmo ou se ele não será cumprido conforme acordo entre as partes.

Assinatura: para finalizar, a carta deverá estar assinado pelo colaborador.

Aviso Prévio

Tendo redigido a carta de demissão, o colaborador deverá entregá-la ao seu gestor imediato ou diretamente no departamento pessoal. Os 30 dias de aviso prévio começam a contar a partir da entrega desse comunicado, é interessante que haja o registro dessa data. De acordo com a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), o indivíduo que pede demissão deve permanecer à disposição da empregadora por, pelo menos, mais 30 dias.

Se o funcionário não puder trabalhar nesse período, deverá efetuar o pagamento para a organização do valor de um salário. Como essa é uma medida preventiva, a sua companhia pode dispensar o colaborador dessa obrigatoriedade. Muitas organizações deixam a cargo do gestor do setor informar ao RH quando o indivíduo pode ser liberado.

Nesse momento, é bom considerar o quanto é realmente imprescindível manter no seu quadro de funcionários uma pessoa que deseja ir embora. Tem situações em que pode ser válido abrir mão de um direito para manter boas relações com seus ex-funcionários, lembre-se que eles podem indicar outros profissionais para o seu lugar e falar bem a respeito do seu empreendimento no mercado.

Como a Empresa Deve Receber a Carta de Demissão

Alguns comunicados de demissão podem abalar as estruturas de algumas empresas, devido ao cargo estratégico que o indivíduo ocupa ou mesmo por ser difícil encontrar um substituto em pouco tempo. No entanto, as instituições não podem não acatar a solicitação ou “enrolar” para protocolar o pedido. O que pode acontecer é, durante o período de aviso prévio, o gestor conversar com o indivíduo e lhe apresentar alguma proposta para que ele fique, porém, sem nenhum tipo de coação.

Se o motivo para a saída for apenas salarial, é possível oferecer um aumento e um plano de carreira para tentar dissuadir o funcionário da demissão. Porém, ao perceber que a decisão dele está tomada, tudo o que se pode fazer é aceitar e iniciar o processo de contratação de um substituto.

Gostou das dicas sobre como sua empresa pode receber a carta de demissão? Deixe seus comentários!

Saiba mais demissão e assuntos relacionados. Inscreva-se no meu canal. Inscreva-se agora!