Saiba como calcular Capital de Giro

Saiba como calcular Capital de Giro

Para garantir a saúde financeira do seu empreendimento é fundamental saber como calcular capital de giro, afinal um dos principais motivos de abertura de falência é a má gestão financeira. A manutenção e conhecimento do capital de giro impacta diretamente na capacidade das empresas se manterem operantes a longo prazo. O empreendedor não pode descuidar das finanças para garantir uma vida longa ao seu negócio.

O que é e como calcular capital de giro?

Recebe o nome de capital de giro o montante que o negócio possui para custear todas as despesas da companhia e mantê-lo operacionalmente rentável. Simplificando se refere aos bens que a organização tem que podem ser facilmente convertidos em dinheiro para eventualidades.

Não se deve confundir o capital de giro com os itens físicos como maquinário, imóveis entre outros que são indispensáveis para o funcionamento da organização. O capital de giro é necessário para poder manter os funcionários sendo pagos em dia, realizar compras de matéria-prima, pagar fornecedores, quitar custos fixos como conta de luz e água e até mesmo os impostos. Fica claro que esse capital é essencial para a manutenção do funcionamento da corporação assim como para a sua saúde financeira.

O cálculo do capital de giro

A seguir vou explicar como realizar o cálculo do capital de giro, a dica é usar uma fórmula bastante simples:

CGL = AC – PC

CGL – É o Capital de Giro Líquido e todos os outros recursos que devem ser geridos com mais rigor pelo gestor evitando dessa maneira resultados financeiros negativos a longo prazo.

AC – Nada mais é do que os Ativos Circulantes que referem-se a dinheiro que se tem em caixa, pagamentos que serão recebidos, aplicações financeiras e outros elementos que gerem capital rapidamente para a companhia.

PC – É o Passivo Circulante que consiste no montante de contas que terão que ser pagas como empréstimos bancários, fornecedores, contas entre outros.

O capital de giro que a sua organização precisa é basicamente a diferença entre o ativo circulante e o passivo circulante. Tendo o conhecimento desse valor o empresário poderá então estruturar ações para manter equilibrada a saúde das finanças evitando que o seu negócio venha a ter dificuldades de se manter futuramente.

Vantagens de conhecer o capital de giro

Conhecer a fundo as finanças da sua empresa é um fator determinante para organizar todas as suas operações encontrando os períodos mais assertivos para fazer as compras necessárias e negociar prazos melhores para pagamento sabendo exatamente quando poderá honrar seus compromissos. Outra vantagem que esse cálculo traz diz respeito a ter equilíbrio entre as suas contas e o faturamento da sua companhia.

Ter um montante adequado de capital de giro possibilita que a sua empresa se mantenha operacional, ou seja, possa investir em atividades relevantes para que seu processo produtivo se mantenha ativo e sendo eficiente. No decorrer do tempo o aprofundamento do conhecimento a respeito da saúde financeira da sua organização se refletirá no aumento dos lucros.

4 Dicas para administrar o capital de giro com assertividade

Não ter uma boa gestão do capital de giro é o primeiro passo para enfrentar sérias dificuldades, pois não se consegue ter o montante necessário para que a companhia se mantenha trabalhando e isso abre a possibilidade de solicitar empréstimos junto a instituições financeiras que podem se tornar uma bola de neve a longo prazo. A seguir listei algumas dicas para ter uma administração eficaz do capital de giro.

1 – Prazos de pagamento

Muitas empresas se prejudicam porque oferecem um prazo de pagamento muito longo em comparação com o prazo que recebem dos seus fornecedores. Para tornar a sua companhia mais saudável financeiramente é positivo trabalhar com prazos menores de pagamento. Mas, cuidado para não deixar seus clientes insatisfeitos, a recomendação é fazer campanhas em que o pagamento à vista ou em menos tempo resulte em descontos, por exemplo.

2 – Corte de custos

Faça uma análise completa dos custos para manter a sua organização em funcionamento cortando custos onde for possível sem perder a qualidade final do produto ou serviço oferecido. A princípio pode parecer que não há onde fazer cortes, mas saiba que olhando com atenção sempre é possível encontrar pontos de melhoria.

3 – Previna e corrija a inadimplência

Quando seus clientes não mantêm o pagamento de suas compras em dia com a sua organização é natural que haja um reflexo dramático nas condições de operacionalidade da mesma. Há duas formas de trabalhar com a inadimplência que podem ser usadas em paralelo, a preventiva e a corretiva. A primeira se refere a ter sistemas que ajudem a avaliar perfis de clientes inadimplentes enquanto que a segunda diz respeito a uma política para cobrança e recebimento dos valores atrasados ou não pagos.

4 – Negocie prazos

Se perceber que não está conseguindo efetuar o pagamento dos fornecedores em dia porque há um descompasso com as datas de pagamento dos clientes procure estabelecer uma negociação para que os prazos possam bater. Nem sempre a sua empresa irá conseguir, nesses casos é possível considerar outros fornecedores.

Gostou de saber mais sobre capital de giro? Compartilhe em suas redes sociais!

 

Copyright:717654034 – https://www.shutterstock.com/pt/g/belchonock