Saiba como montar uma loja virtual para sua empresa

Saiba como montar uma loja virtual para sua empresa

Saber como montar uma loja virtual pode ser o elemento decisivo para consolidar a sua marca junto ao seu público-alvo, afinal, atualmente, boa parte das pessoas faz suas compras online. Mesmo empreendimentos que são bem-sucedidos em seus pontos físicos devem considerar ter esse braço virtual para aumentar o seu potencial de alcance assim como se tornar mais presentes na internet.

Como Montar uma Loja Virtual – Pontos Importantes a Considerar

Com a decisão de abrir uma loja virtual tomada, chega o momento de considerar as questões relevantes para que esse empreendimento online seja bem-sucedido. A seguir vou explicar com mais detalhes os seguintes pontos: escolha de plataforma, métodos para receber os pagamentos, sistema antifraude, segurança da página, suporte e backoffice.

Escolha de plataforma

A média de troca de plataforma de loja virtual é de três anos, contudo, se o empreendedor encontrar uma base versátil e flexível, que atenda as suas demandas por um longo prazo, será mais positivo. Basicamente, existem três tipos de plataformas: gratuitas, pagas e de código fonte aberto.

As gratuitas podem parecer excelentes num primeiro momento por não exigir investimento, no entanto, são muito limitadas e podem impedir o seu negócio de crescer no médio e longo prazo. As plataformas pagas costumam oferecer suporte de qualidade e usabilidade mais simples para colocar a sua loja virtual em operação, mas cobram uma porcentagem da sua receita.

O meio termo entre as plataformas gratuitas e as pagas são as de código fonte aberto, que são gratuitas, mas que demandam conhecimento técnico de programação, além de não ter suporte na maioria dos casos. Considere o quão certo a respeito do negócio você está antes de fazer esse investimento e, então, escolha com maior efetividade.

Métodos para receber pagamentos online

Contar com um sistema prático e seguro para recebimento do pagamento das suas vendas online é fundamental para o sucesso da sua loja virtual. Há três métodos de recebimento que explicarei melhor abaixo:

Método de intermediadores de pagamentos – A opção mais simples para quem está abrindo a sua loja virtual agora, tanto no que diz respeito à usabilidade como de negócios. Além de boa parte dos intermediadores assumirem o risco de fraudes, também contam com o adiantamento de recebíveis. De maneira geral, os intermediadores cobram uma taxa fixa a cada transação, além de uma taxa variável sobre o valor da venda.

Método de gateways de pagamentos – Cobrando apenas uma taxa fixa por transação, essa é uma solução mais econômica, no entanto, não conta com serviço antifraude (que deverá ser contatado pelo lojista), assim como exige negociação diretamente com a adquirente quanto a adiantamento de recebíveis.

Método de integração direta com a adquirente Indicado para lojistas com mais tempo de presença online. O contato, nesse caso, também é feito diretamente com a adquirente, permitindo a livre negociação de taxas, contudo, observe que a experiência do usuário será de responsabilidade da sua loja, algo que pode ser positivo ou negativo.

Sistema antifraude

As vendas realizadas através da internet são chamadas de vendas não-presenciais e possíveis fraudes nessa modalidade ficam sob a responsabilidade do lojista, diferentemente do que acontece com vendas presenciais (em lojas físicas) que a responsabilidade fica com a rede de adquirência. A dica é se você não for utilizar um sistema de intermediador de pagamento (que se responsabiliza por fraudes) deverá contratar um bom sistema antifraude. Numa situação de fraude, a sua loja ficará sem o produto e sem o dinheiro.

Segurança para a página da loja virtual

Proteger os dados de quem navega pela página da sua companhia e para quem realiza compras efetivamente é fundamental, pois se a sua loja virtual adquirir a fama de permitir o roubo de dados de quem a acessa, não terá mais clientes. De maneira geral, existem dois tipos de sistemas de segurança para a sua página, entenda melhor a seguir.

SSL (Sucure Socket Layer) – Ferramenta obrigatória para páginas que contam com sistemas de cadastro para proteger os dados dos consumidores. As redes de adquirência, como a Cielo, por exemplo, exigem SSL dos lojistas.

Scan de Aplicação e IP – Consiste num sistema que realiza a busca de falhas que deixam a sua página vulnerável para indivíduos mal-intencionados. Conhecendo essas falhas se torna possível para a sua equipe de desenvolvimento corrigi-las.

Suporte

A chamada ‘Lei do e-commerce’ determina que qualquer loja virtual deve prestar suporte para os seus clientes 24 horas por dia, durante 7 dias por semana. No começo da atuação no mercado, é normal que o próprio empreendedor atenda as demandas dos consumidores por e-mail ou, então, por telefone. No entanto, conforme a loja for tendo mais demanda, pode ser interessante investir em sistemas de gestão de atendimento dos consumidores.

Backoffice

A partir do momento em que a sua loja virtual receber mais de dez pedidos por dia, será necessário começar a pensar a respeito da utilização de uma ferramenta de backoffice que permita controlar processos como a verificação de pagamentos, separação dos itens adquiridos, embalagem dos produtos entre outros automatizando o trabalho. Essas plataformas permitem conexão com a loja virtual em boa parte dos casos.

Agora que você já sabe como montar uma loja virtual, pode começar a pensar em como tirar o seu sonho do papel!

 

 

Saiba mais sobre lojas virtuais e assuntos relacionados. Inscreva-se no meu canal. Inscreva-se agora!