O que é disrupção? Podemos considerar uma ameaça ou uma oportunidade?

O que é disrupção? Podemos considerar uma ameaça ou uma oportunidade?

O termo disrupção tem sido bastante empregado nos últimos anos devido à velocidade acelerada de transformações pelas quais o mercado consumidor vem passando. Embora seja um conceito ligado à inovação, a disrupção também representa uma ameaça para companhias líderes dos setores que passam por mudanças bruscas. A seguir você entenderá melhor o que significa essa palavra.

O Que é Disrupção?

Basicamente, disrupção é o processo de mudança da lógica de um mercado consumidor devido ao surgimento de um produto ou serviço que desbanca os líderes até aquele momento. Em geral, no início, o produto/serviço inovador apresenta qualidade inferior à estabelecida pelas empresas líderes. Um exemplo prático para ficar mais claro é o das câmeras analógicas, que foram substituídas pelas câmeras digitais e, posteriormente, pelos smartphones.

Quando surgiram no mercado, as primeiras câmeras digitais tinham qualidade bastante inferior às analógicas e parecia difícil que elas tomassem o seu lugar. Contudo, a evolução da tecnologia dos equipamentos fez com que essa desvantagem fosse superada e logo houve uma inversão. Para completar a disrupção do mercado de câmeras analógicas, surgiram os smartphones com câmeras digitais de alta qualidade que podem ser levadas no bolso.

Disrupção na Era da Internet

A internet criou um ambiente mais propício para o desenvolvimento de negócios disruptivos, pois antes da sua difusão esse processo de substituição podia levar várias décadas. Basta pensarmos em quanto tempo a Netflix levou para acabar com as videolocadoras. Há que se reconhecer que esse tipo de negócio já não vinha bem, contudo, com a popularização do streaming, não houve mais espaço para locadoras de vídeo.

As possibilidades abertas pela tecnologia para resolver questões do dia a dia têm feito com que todos os dias surjam ideias com potencial disruptivo. Contudo, não são todas que realmente conseguem remodelar os mercados de que fazem parte. A Uber é um bom exemplo de companhia que é vista como potencialmente disruptiva, mas ainda não substituiu completamente os líderes do segmento, que são os táxis. A ameaça de transformação do mercado nem sempre é tão próxima e real nos casos de disrupção.

Por Que a Disrupção Representa Ameaça Para Algumas Empresas?

Acima expliquei o que é disrupção e, a partir desse conceito, é fácil compreender porque tantas organizações têm verdadeiro pavor dessa palavra. Criar e consolidar uma companhia no mercado demanda tempo e dinheiro, saber que todo esse trabalho pode ser posto de lado por alguma inovação disruptiva tira o sono de muitos empresários.

Contudo, a questão principal não deve ser como reagir ao surgimento de um produto/serviço inovador concorrente e sim como se tornar proativo em seu segmento. As companhias que entendem a disrupção como uma alavanca para o desenvolvimento de novas soluções têm conseguido obter excelentes resultados. A verdadeira ameaça é ficar estagnado sem perceber que existe um grande mercado a se desbravar.

Como Superar a Ameaça da Disrupção?

Vivendo na era da internet e da informação é quase impossível fugir da disrupção. Aceitando que ela faz parte do mercado, o empresário deve encontrar mecanismos para superar as adversidades provenientes dela. O primeiro passo para não se tornar parte de um case de substituição é aprender a analisar as forças disruptivas, isto é, entender quais são as demandas que o seu consumidor terá no futuro – nem tão distante.

O que empresas disruptivas fazem? Elas entram no mercado oferecendo uma solução mais barata e mais simples em comparação com as organizações líderes. Como já citei, em boa parte dos casos essa solução tem qualidade inferior aos produtos/serviços estabelecidos, contudo, começa o trabalho de conquista do mercado. A evolução de qualidade pode acontecer durante o processo de consolidação.

Companhias que vislumbram essa possibilidade podem lançar linhas populares de seus produtos carro-chefe ampliando o seu market share e evitando que concorrentes ocupem esse espaço de mercado. O pior erro que uma empresa pode cometer é o de acreditar que uma vez que seus consumidores estão plenamente satisfeitos nesse momento não terão novas demandas muito em breve.

Conheça os Motores da Disrupção

Num primeiro momento, pode parecer que o único motor da disrupção é a tecnologia, contudo, não é bem assim. Existem dois outros motores que têm grande relevância para que inovações disruptivas cheguem ao mercado: regulamentação e comportamento do consumidor.

Alguns setores, especialmente o financeiro, contam com regulamentações rígidas e, para que possam surgir modelos de negócios disruptivos, muitas vezes é necessário que sejam feitas mudanças em algumas leis. Outro fator que se mostra preponderante para que o mercado se torne propício para alterações profundas é a mudança de comportamento do consumidor.

Afinal, para que um novo produto ou serviço se estabeleça é importante que haja novos consumidores que impulsionem as suas vendas. A disrupção é formada por um conjunto de elementos que direcionam o setor para um novo caminho. Organizações que são levadas à falência nesse processo demonstram que não estavam preparadas para enfrentar esse novo cenário.

Para você a disrupção é uma ameaça ou oportunidade? Deixe seu comentário!

Copyright: 679353946 – https://www.shutterstock.com/pt/g/panchenko%20olga