Sua empresa pode estar seguindo o caminho do endividamento

Sua empresa pode estar seguindo o caminho do endividamento

O endividamento das empresas brasileiras é mais um fator que contribui para a crise econômica que se abateu sobre nosso país. O cenário é preocupante, pois cerca de 40% das dívidas de companhias nacionais estão em dólares, devido à busca de recursos financeiros no exterior. O FMI (Fundo Monetário Internacional) alerta que a capacidade de pagamento dessas organizações é baixo, diminuindo a confiança de investidores e instituições financeiras.

Como uma Empresa Pode Evitar o Endividamento?

Para que o índice de endividamento das empresas brasileiras seja reduzido, é fundamental que as companhias que ainda não estão sofrendo desse mal o evitem. A grande questão está em identificar quais são os fatores que podem acarretar no descontrole que gera o acúmulo de dívidas. Um número expressivo de empresas que se encontram em situação de endividamento começou a enveredar por esse caminho ao solicitar empréstimos a instituições financeiras.

Partindo desse dado, digo com segurança que o primeiro passo para evitar complicações com as finanças é ter um bom planejamento de capital de giro e projeções para o futuro. Talvez pareça complicado para empreendedores que estão sentindo os reflexos da redução do consumo e aumento dos preços de insumos fazer tal planejamento. Abaixo vou dar algumas dicas de administração financeira eficaz para evitar dívidas.

Dicas de Gestão Financeira Para Evitar Acúmulo de Dívidas

1 – Busque soluções alternativas a tomada de empréstimos

Essa dica é essencial para qualquer estágio do negócio, esteja ele em sua abertura ou com algum estabelecimento no mercado. Pode ser tentador obter uma linha de crédito com um banco para solucionar os problemas financeiros como num passe de mágica. No entanto, os juros e as parcelas do empréstimo não somem com um simples “abracadabra”.

Por isso, o mais indicado é que o empresário considere outras opções, como realizar a venda de algum bem para ter capital de investimento no empreendimento, usar parte do capital de giro para cobrir as dívidas existentes ou, até mesmo, se associar a outra companhia para conseguir usufruir uma estrutura mais forte. Soluções que não deixam um rastro de juros e anos de compromisso com uma instituição financeira são sempre mais eficientes.

2 – Tente atrair investidores

Se a sua companhia não consegue crescer pela falta de capital, saiba que uma boa alternativa é buscar por investidores. Essa forma de injeção de recursos financeiros está cada vez mais comum e pode representar um passo distante do endividamento. Claro que é essencial analisar bem as possibilidades para encontrar bons investidores e evitar intervenções que atrapalhem o fluxo da organização.

3 – Observe as oportunidades

As empresas que se saem melhor durante uma crise econômica são aquelas que sabem identificar oportunidades. A queda do consumo dos produtos/serviços pode representar um grave prejuízo para as companhias, no entanto, ao invés de se deixar levar pelo desanimo do mercado, é possível identificar oportunidades de crescimento em outros nichos.

Um estudo de mercado ajuda a identificar quais são as potencialidades da sua corporação, analisando as suas capacidades de estrutura e vocação produtiva. Tem empresários compensando a queda nas vendas com o aluguel de parte da sua estrutura ou com negociações que permitem vendas casadas com outras empresas de setores similares. Não se entregar a situação econômica difícil é uma forma de fugir do caminho do endividamento.

4 – Tenha cautela

Uma das grandes satisfações de muitos empresários é observar o crescimento de suas companhias. Porém, em momentos de crise, é necessário trabalhar com cautela, afinal se deve ter capital reserva para emergências e a consciência de que os consumidores não têm condições para manter um ritmo acelerado de consumo. Administrar com cautela não significa deixar de fazer investimentos necessários, mas sim saber guardar parte da energia da organização para usar quando se mostra imprescindível.

5 – Renegociação de dívidas

Se a sua companhia já está com problemas de endividamento, o melhor caminho a seguir é trabalhar na renegociação desses compromissos. Seja dívidas com fornecedores, bancos ou outros, é fundamental colocá-las em dia dentro das condições reais que a empresa possui. Antes de procurar os credores, faça uma análise criteriosa dos bens e capital disponíveis para liquidar as pendências.

O passo seguinte é buscar a renegociação para evitar que a dívida acumule juros e que seu negócio entre para a lista dos maus pagadores. Converse com os detentores das dívidas e busque um caminho em que as parcelas caibam dentro de um orçamento possível. Não adianta fazer uma negociação que não pode ser cumprida a longo prazo.

6 – Mantenha sua empresa nos eixos

Após ter feito uma grande renegociação, é essencial manter seus compromissos sempre em dia, pois falhar com esses pagamentos significa perder a confiança de quem ofereceu uma nova oportunidade. Também pode acarretar em mais juros e na barreira para a solicitação de novos parcelamentos.

A sua companhia precisa de uma gestão eficiente e cautelosa em tempos de crise para que possa evitar o acúmulo de dívidas. Deixe seu comentário abaixo!

Copyright: 750473410 – https://www.shutterstock.com/pt/g/multifacetedgirl