Entenda como funciona o Exame Admissional

Entenda como funciona o Exame Admissional

Para quem tem se perguntado “Fiz o exame admissional e agora por que não sou contratado?”, é importante esclarecer quais são as obrigações das empresas para com os potenciais futuros profissionais, bem como quais são as responsabilidades que elas podem ser obrigadas a assumir. Os casos de pessoas que são aprovadas em testes de seleção e acabam não sendo incorporadas aos quadros de funcionários têm crescido nos últimos anos.

Saiba mais sobre exame admissional e tudo relacionado à contratação de funcionários.Inscreva-se no meu canal.

Fiz o Exame Admissional e Agora Não Fui Contratado

Parece uma situação estranha, não é mesmo? Afinal, se o indivíduo passa pelo processo seletivo da companhia e faz o exame admissional, é porque existe a intenção do empregador de efetivá-lo. Contudo, na prática isso não tem se mostrado exatamente assim, muitos profissionais acabam tendo as suas expectativas frustradas descobrindo que após a realização do exame não serão contratados.

A primeira questão que deve ser aventada é que existe um código de ética implícito entre a empresa e o potencial contratado, isto é, espera-se que ambas as partes ajam de boa fé. Sendo assim, é de bom tom que tudo o que foi acordado na etapa pré-contratual (antes de assinar os papéis de contratação) seja mantido, a menos que exista um motivo irremediável para voltar atrás.

Cito como exemplos de motivos irrevogáveis o fechamento da filial da contratante em que o profissional iria atuar ou, mesmo, perda do cliente que seria atendido pelo novo contratado. Num caso assim, a Justiça, se acionada, pode entender que a parte contratante não agiu de má fé e lhe dar ganho de causa.

Acionando a Justiça

As ações movidas por profissionais que passaram por todas as etapas contratuais, incluindo o exame admissional, sem a contratação estão cada vez mais comuns na Justiça. Os profissionais que entram com essas ações se sentem lesados no âmbito financeiro algumas vezes e, em praticamente todos os casos, no âmbito moral. Já houve ganho de causa para um solicitante que alegou ter desenvolvido depressão a partir da contratação não concluída.

Contudo, antes de partir para esse passo, é fundamental atentar para algumas questões relevantes como, por exemplo, quais são as provas que serão levadas a juízo. O indivíduo interessado em mover o processo deve ter provas palpáveis, como testemunhas e documentos que demonstrem que a companhia fez uma promessa de emprego que foi simplesmente retirada sem um motivo pertinente.

Além disso, é essencial que o interessado na ação comprove eventuais prejuízos financeiros que tenha sofrido. É comum que alguns profissionais peçam demissão do trabalho anterior para poder assumir a nova vaga. Mudanças de cidade ou mesmo de bairro podem ser usadas como demonstração de prejuízo. Somente o fato de a organização ter realizado todo o processo seletivo sem a eventual contratação não resultará em ganho de causa, é necessário comprovar que ocorreram perdas, sejam financeiras ou morais.

Indenização

Estando envolvido num enredo como o apresentado ao longo do artigo e tendo as provas citadas, é bem possível conseguir uma indenização por danos morais. A Justiça entende que a quebra da boa-fé do contratante – ao solicitar o exame admissional e não efetivar a contratação sem um motivo justo – acarreta em danos morais que devem ser indenizados. Quanto maior o prejuízo sofrido pelo não-contratado, maior pode ser o valor da indenização que lhe deverá ser paga.

Entenda Como Funciona o Exame Admissional

Quem está em busca de um trabalho deve estar preparado para passar pela etapa do exame admissional e somente conhecendo como ele deve ser aplicado é possível compreender quando há alguma irregularidade na sua realização que pode gerar um motivo injusto para a desistência da efetivação.

Qual a função do exame admissional?

O objetivo desse exame – que deve ter todas as suas despesas pagas pela empresa contratante – é assegurar que o profissional tem condições físicas e mentais para assumir o cargo pretendido. O médico fará uma entrevista com o potencial contratado com o objetivo de conhecer mais profundamente as suas capacidades podendo, até mesmo, questionar experiências anteriores de trabalho. Em relação ao exame físico, podem ser verificados os batimentos cardíacos e a pressão arterial.

O que é proibido no exame admissional?

O futuro contratado deve estar ciente de que num exame admissional o médico não pode realizar exames de verificação de gravidez, esterilização ou de HIV (AIDS). A realização desse tipo de exame demonstra ação discriminatória e uma contratação não pode ser barrada por essas questões. Dessa forma, se o indivíduo que não foi contratado após o exame suspeitar que foi devido a alguma questão de saúde verificada sem a sua autorização, pode e deve levar essa questão ao juiz.

Converse Com a Empresa

Antes de dar início a um processo, é interessante conversar com a companhia que demonstrou intenção de contratação e não seguiu adiante para conhecer o seu motivo. Há situações que mesmo não sendo positivo para o profissional ficar sem o emprego, não há condições de sair vencedor de uma disputa judicial e se mostra mais válido buscar outra solução.

Espero que essas informações tenham te ajudado a se preparar para enfrentar essa situação difícil. Já passou por isso? Se sim, deixe o seu comentário compartilhando sua experiência.

Saiba tudo sobre deveres e direitos relacionados à contratação de funcionários em uma empresa. Acesse e inscreva-se no meu canal.