Empresa optante pelo Simples: Quais os Encargos Sociais?

Empresa optante pelo Simples: Quais os Encargos Sociais?

Sua empresa é optante pelo Simples Nacional e quer contratar colaboradores? Antes de iniciar o processo de recrutamento vale a pena saber mais sobre os encargos sociais que essas contratações demandam. Mesmo que este regime tenha como premissa uma carga tributária mais leve ainda possui alguns encargos que devem ser considerados. Manter em dia essas obrigações é essencial para que a sua empresa tenha acesso a linhas de crédito e outros benefícios.

Encargos sociais: A realidade da contração de funcionários

O primeiro ponto que deve ser considerado pelos empresários é o de que o custo dos funcionários não se limita ao pagamento do seu salário no final do mês. Para se ter uma ideia, em média, o salário mensal representa um pouco mais do que 30% de todo o custo gerado pelo colaborador. O restante do custo gerado pelo funcionário diz respeito aos impostos que devem ser pagos pelo empregador de acordo com o regime em que a sua organização está estabelecida.

Observando que o custo de um colaborador pode chegar a aproximadamente 190% do seu valor de holerite digo que é praticamente como se a sua empresa estivesse contratando dois funcionários. O gestor deve conhecer exatamente o custo de cada colaborador para a sua companhia antes de dar início a um processo de contratação de novos indivíduos.

Custo de um funcionário

Para que seja mais fácil compreender os benefícios de ter sua organização inscrita no Simples Nacional no tocante a encargos sociais vou explicar qual é o custo de um colaborador para companhias que não fazem parte desse regime tributário. Os encargos sociais que devem ser pagos pelo contratante são da ordem de 37% em relação ao valor de salário mensal do colaborador.

Desse valor, em torno de 29%, é destinado para o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). Os 8% restantes são direcionados para o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Devem ser adicionados a essa equação ainda os custos que, mesmo não sendo gerados mensalmente, têm impacto na grade dos custos periódicos como 13° salário e férias.

Para que fique mais fácil de entender vou dar como exemplo um colaborador que recebe R$ 2.000,00 por mês. Considerando os encargos sociais teríamos mais R$ 580,00 mensais e ainda uma média de R$ 166,66 por mês para compor o 13° salário e ainda R$ 222,21 para compor o valor das férias. Lembrando que esses são os custos relativos a encargos sociais não considerando outros custos práticos como uniformes, afastamento por doença ou licença etc.

Encargos sociais de funcionários para empresas do Simples Nacional

Alguns encargos sociais são excluídos do conjunto de encargos a serem pagos por empresários optantes pelo Simples Nacional dentre eles estão: salário educação, INSS patronal, contribuições ao Incra, SENAI, SEBRAE e SESI e o Seguro Acidente do Trabalho (SAT). Contudo, ainda há alguns encargos que compõem os custos de colaboradores para organizações do Simples, sendo eles:

  •  13° salário – Representa 8,33% por mês em um ano;
  • FGTS/Multa de rescisão – 4%;
  • Férias – Representa 11,11%;
  • FGTS – 8%;
  • Previdenciário sobre 13°/DSR/Férias – 7,93%.

No total esses encargos representam 39,37%, o que significa que aproximadamente 40% do que a companhia gasta com seu colaborador não se refere ao seu salário.

A diferença é grande para outros regimes?

A base de cálculo de custo de funcionários para empresas de regimes de Lucro Real e de Lucro Presumido é bastante semelhante, contudo, são adicionados aqueles encargos dos quais as organizações do Simples Nacional estão isentas. No final com a adição de INSS Patronal e alíquota de terceiros (Incra, SESI, SENAI e SEBRAE) se chega a um total de 68,18% de encargos. Nesse caso quase 70% do valor gasto com os colaboradores não diz respeito ao salário mensal.

Planejamento financeiro

Para contratar funcionários de maneira responsável para o futuro da sua organização sugiro que seja feito um planejamento financeiro em que estejam previstos todos os custos que serão gerados. Inicialmente nesse cálculo devem estar previstos os custos diretos que incluem salário e benefícios. Tendo a resposta desse custo chega o momento de verificar o valor dos custos indiretos que incluem os encargos que variam de categoria para categoria.

Não é necessário fazer cálculos complexos, apenas considerar todas as eventuais obrigações fiscais e custo de manutenção do colaborador. Um erro de iniciante que pode ser evitado é o de contratar um funcionário sem compreender que ele custa mais do que o seu salário. Pense ainda em cenários como o de demissão desse colaborador e pagamento de indenizações. Tenha certeza de que pode arcar com as despesas de qualquer ponto de vista.

Com essas dicas sobre os encargos sociais para optantes do Simples Nacional ficou mais fácil fazer os cálculos prévios antes de uma contratação, não é mesmo? Deixe seus comentários abaixo!

 Copyright: Google –  blog.vr.com.br