Saiba tudo sobre a integralização

Saiba tudo sobre a integralização

A integralização do capital é uma questão de grande relevância no momento da abertura de uma empresa devendo ser considerada antes mesmo do seu registro legal, no entanto, ainda é uma questão que suscita uma série de dúvidas nos empresários. Não é raro que empreendedores, em especial os que estão à frente de micro e pequenos negócios, acabem registrando um capital social distante da realidade e se prejudiquem fortemente com isso.

Tudo o que você precisa saber sobre integralização

Para quem chegou aqui com dúvidas sobre a integralização do capital social listei alguns tópicos bastante relevantes.

1 – O que é capital social?

O primeiro ponto para quem deseja saber mais sobre integralização de capital é entender a conceituação de capital social. Basicamente ele se refere a recursos financeiros (móveis ou imóveis, tangíveis ou intangíveis) que são aportados pelos sócios no início das atividades corporativas e ao longo da vida da empresa. Ao ler esse conceito provavelmente você achou simples, não é mesmo?

No entanto, devo alertar que boa parte dos empresários brasileiros cometem erros sérios no momento de definir o seu capital social e isso nos leva ao segundo tópico dessa lista, a diferença entre integralização e subscrição.

2 – Subscrição e integralização são coisas diferentes

Um dos primeiros atos constitutivos de uma organização é o da determinação e posterior subscrição/integralização do capital social. Porém, devo esclarecer que existe diferença entre subscrever e integralizar o capital, pois esse é um dos principais erros cometidos pelos empresários brasileiros. Abaixo explico em detalhes o que é cada conceito.

– O que é subscrição?

Trata-se da textualização do capital social no momento da formalização do seu ato constitutivo. Os objetivos incluem a definição de valores e as maneiras de integralização de forma que se limita somente a projetar e constituir o capital sem o tornar tangível, contudo.

– O que é integralização?

A integralização por sua vez consiste no conjunto de ações realizadas pelos sócios com o objetivo de disponibilizar os valores que estão subscritos no ato de constituição da companhia. Na prática é a incorporação a organização dos bens que são necessários para que ela possa começar a funcionar. Os bens em questão incluem bens móveis, imóveis, moeda corrente ou quaisquer outros que possam ser avaliados sob o prisma monetário.

– Da promessa para a ação

Para que fique realmente clara a diferença entre subscrição e integralização devo destacar que a primeira se configura na promessa feita pelos sócios de fazer aportes financeiros na organização que está nascendo, eles declaram quanto têm a intenção de investir. Já a integralização é a concretização dessa promessa, ou seja, a entrega do capital em si para que a organização possa sair do papel e se tornar uma realidade.

3 – Separação de responsabilidades dos sócios

Em companhias de responsabilidade limitada é o capital social que faz a separação de responsabilidades atribuídas aos sócios. Se por acaso o capital não tiver sido devidamente integralizado seguindo o que está disposto na subscrição pode acontecer a descaracterização da sua personalidade jurídica num eventual processo judicial. Isso também pode causar problemas para a realização e manutenção da contabilidade regular da organização.

4 – Perda de credibilidade

Outra questão que não pode deixar de ser aventada diz respeito ao fato de que a integralização incorreta pode acarretar em perda de credibilidade no mercado diante de fornecedores, instituições financeiras, credores e até mesmo clientes. Integralização é também sinônimo de credibilidade e de poder financeiro das empresas.

Hoje em dia é comum que sejam exigidas comprovações da correta integralização de capital social pela outra parte para que um negócio possa ser fechado. O entendimento que se tem é a de que a integralização permite compreender qual a capacidade produtiva e financeira que a organização possui.

Qual a importância da integralização de capital para as empresas?

Ao longo dos tópicos listados acima apresentei pequenas pistas da relevância da realização da integralização correta do capital social. Primeiramente funciona como um método de divisão de responsabilidades entre os diferentes sócios. Como mencionei é crucial que a integralização tenha sido feito seguindo as indicações da subscrição para que não abra brechas para questionamentos judiciais.

Além disso, também é uma maneira da empresa conseguir apresentar mais segurança para os eventuais investidores e públicos com quem vai negociar. Não ter a integralização assertivamente feita pode causar um processo de sub valorização do seu empreendimento no mercado. Essa situação pode acarretar ainda em dificuldades de obter empréstimos ou financiamentos, assinatura de contratos entre outros. Invista um pouco mais de tempo na realização desse procedimento para não ter problemas a frente.

Gostou de saber mais sobre a integralização de capital e por que ela é tão importante para as empresas? Deixe seus comentários a seguir e compartilhe em suas redes sociais! 

Copyright:697660129 – https://www.shutterstock.com/pt/g/kritchanut