Entenda como medir a capacidade de inovação tecnológica de sua empresa

Entenda como medir a capacidade de inovação tecnológica de sua empresa

A inovação é um conceito bastante difundido atualmente, já que quem inova costuma sair na frente e se destacar em meio a concorrência. Porém, você já imaginou que é possível medir a capacidade de inovação tecnológica de uma empresa? Para saber mais sobre o assunto, continue acompanhando o artigo.
 

Inovação Tecnológica: O Que é?

 
Muitos confundem o conceito de inovação com criatividade, mas inovar é mais do que ser criativo. Uma empresa pode ser considerada inovadora ao encontrar formas de promover uma redução de custos aliada ao aumento de sua eficiência. Isso é alcançado quando o gestor pensa fora da caixa e encontra maneiras de utilizar novos recursos ou dar novas funções aos recursos que já utiliza.
 
Não podemos nos esquecer de que algo inovador deve ser único, então implementar uma melhoria que foi criada por outra organização, como a que citei anteriormente, não é inovar. Porém, nada impede que a inovação seja um conceito interno, sem pensar se o plano a ser implementado já existe e já é seguido por outra empresa.
 
Um bom exemplo de inovação interna é quando um empreendedor decide deixar de lado as ferramentas manuais de gestão para fazer uso de softwares, que tornam o processo bem mais rápido e eficaz. Se os seus concorrentes ainda não fazem uso desse tipo de ferramenta, então é sinal de que agora você tem um diferencial competitivo.
 

Como Medir a Inovação Tecnológica?

 
Agora você deve estar se perguntando como poderá fazer para mensurar qual é a capacidade de inovação da sua empresa. Realmente não é algo simples de ser feito, na verdade não era, pois o IEL (Instituto Euvaldo Lodi), por meio de uma iniciativa da CNI (Confederação Nacional da Indústria), criou uma ferramenta online para medir a capacidade que o seu negócio tem de inovar.
 
Trata-se de um site (http://inovacaoiel.herokuapp.com) em que você deverá responder perguntas sobre a sua empresa. As questões são sobre:
 
• A categoria a qual o negócio pertence (exemplo: bancos, alimentação, roupas, etc.).
 
• A região do Brasil em que está localizado.
 
• O faturamento anual.
 
• As prioridades da empresa (aumentar a gama de produtos, entregas mais rápidas, melhoria na comunicação, etc.).
 
• O incentivo à criatividade dos colaboradores e liberdade para contribuir com suas ideias.
 
Além de várias outras questões relacionadas à inovação como um todo. Depois de responder a todas as perguntas, é gerado um relatório que mostra a capacidade que a sua empresa tem de inovar em aspectos diferentes, como:
 
A – Experiência em Gestão da Inovação: Trata-se de uma comparação entre as práticas de inovação já realizadas pela empresa e os resultados obtidos por meio delas.
 
B – Análise dos Tipos de Inovação: A resposta principal irá depender da prioridade atual da empresa em inovar. São analisados o potencial inovador em relação aos produtos, processos, marketing e organizacional.
 
C – Análise da Capacidade de Inovação: Mostra a classificação da organização em relação a cada um dos itens fundamentais da inovação.
 
Trata-se de uma versão reduzida do resultado, para ter acesso a informações mais detalhadas é necessário entrar em contato com o IEL. O instituto possui diversas soluções de gestão da inovação para auxiliar as empresas a encontrarem o seu diferencial competitivo.
 

A Inovação no Brasil

 
Em se tratando de tecnologia e inovação, o Brasil tem uma colocação ruim, pois está em 69º lugar no ranking mundial. A informação de torna pior se levarmos em consideração que em 2011 estávamos em 47º lugar, ou seja, em pouco mais de seis anos descemos mais de 20 posições. Outro dado alarmante é em relação ao ranking de eficiência da inovação, pois em 2011 o país conseguiu alcançar o 7º lugar, mas em 2016 caiu para a inacreditável 100ª colocação.
 
Além disso, se forem levados em consideração apenas os países que são membros do BRICS, apesar de estar em primeiro lugar na sigla, o Brasil é o último quando se trata de inovação. Para que o nosso país conseguisse alcançar a Suíça, que é o líder em inovação, seria necessário aumentar os investimentos destinados para este fim em cerca de 60%.
 
Estas informações, apesar de negativas, não devem desanimar os empreendedores, muito pelo contrário. É importante que dados tão alarmantes sejam usados de forma positiva, como uma motivação para mudar este cenário. Se você é do tipo que acredita que inovação é algo apenas para grandes empresas, saiba que os pequenos negócios também têm vez.
 
Para as chamadas PMEs (pequenas e médias empresas) a inovação pode ser, inclusive, uma estratégia para que o crescimento aconteça de forma sustentável, sem correr o risco de retroceder ao passar por problemas. Inovar é muito mais do que criar algo exclusivo, mas sim fazer a diferença, seja no mercado ou mesmo internamente.
 
Você já conhecia o teste do IEL para medir o a capacidade de inovação de empresas? Faça o teste e compartilhe o resultado e sua opinião sobre ele comigo nos comentários.