O que o CMV significa na prática?

O que o CMV significa na prática?

Um empreendedor que deseja alcançar sucesso para o seu negócio precisa, também, estar ciente de tudo que acontece financeiramente em sua empresa. Quando isso não acontece, muitos pequenos erros podem gerar grandes prejuízos e uma organização que poderia crescer e prosperar, acaba por gastar mais do que ganha. Por isso, uma das siglas que todo empresário deve dominar ao gerenciar as finanças da organização é o CMV- Custo de Mercadoria Vendida.
 

O que o CMV significa na prática?

 
Todo produto que uma empresa vende passa por etapas antes da sua efetiva saída de circulação e todos esses momentos envolvem custos variados. Existe o valor pago pela aquisição ou produção desse item, depois o custo de armazenar essa peça para então haver o preço final da venda deste objeto.
 
A cotação total deste produto é o Custo de Mercadoria Vendida. Portanto, a quantia em dinheiro que se ganha no ato da venda não é o lucro em si, mas sim um valor que corresponde a tudo que envolve o item. Para saber qual é o lucro bruto dele, o valor a se ganhar por peça comercializada, deve-se usar o custo total para ter esse produto em estoque menos o valor que foi pago na hora da venda.
 
Um exemplo que posso dar é o de lojas que vendem chá a granel. A produção de cada um dos chás, o deslocamento até as filiais, o estoque e, então, o valor final tem um custo total até o momento da comercialização, pois um percentual é sempre cobrado a mais do cliente no ato de sua compra. A diferença entre essas duas quantias representa o que, de fato, a empresa está ganhando.
 

Estoque como aliado do empreendedor

 
Quando a produção do item a ser vendido possibilita que ele disponibilize a peça a pronta entrega, é necessário organizar um estoque para armazenar estes produtos. Então, tudo que entra e sai desse armazenamento precisa estar registrado num inventário ajudando, assim, a manter as quantidades certas para venda e ao mesmo tempo ter condições de estocar o restante sem ocupar todo o espaço disponível.
 
Ao registrar todas as atividades que acontecem nesse setor da empresa fica mais fácil de ativar as equipes responsáveis por ordenar mais produtos ou então, para a limpeza do que não tem mais validade. Esse é um caso muito comum com empresas de perecíveis. Se a rotatividade dos produtos estocados não for grande, corre-se o risco de armazenar itens que estão prestes a estragar causando prejuízo ao negócio. Afinal, cada produto que está ali custou um valor que deveria ser coberto pelo preço de venda. Se ele não for comercializado de nenhuma forma, por ter passado da validade, isso é um grande prejuízo.
 

Use de registros que validem a rotina dos produtos

 
Com um controle esquematizado das mercadorias prontas, matérias – primas, mão de obra e insumos, sua organização consegue evitar muitos desfalques ou sobras. Além de esse ser o modo mais saudável de se manter a empresa organizada, é muito positivo ter total controle do que acontece dentro do seu negócio.
 
Por isso, estabeleça procedimentos e etapas que devem ser seguidos por todos os profissionais que trabalham diretamente com a produção, estoque e venda dos seus produtos. A operação, gestão e controle de todos estes itens são elementos que devem ser administrados de modo que o esquema de vendas seja um processo assertivo e contínuo.
 
Essa organização será a referência que os times de controle terão para identificar se é necessário reforçar o estoque ou não. Por isso, se ali não houver um procedimento padrão que faça com que os controles sejam atualizados, o trabalho dessa equipe fica muito mais difícil e passível de muitos erros.
 

Invista numa equipe atenta e qualificada

 
Também, de nada adianta, a empresa propor uma linha de produção efetiva se os profissionais que cuidam dessas etapas não forem responsáveis por isso e capacitados para executar bem seu trabalho. Portanto, realize treinamentos, apresente as ferramentas para todos que se envolverem com estes processos e tenha em mente que esse time é apenas parte de toda uma engrenagem e, consequentemente, deve ser mantida em ordem para dar continuidade.
 

O Custo de Mercadoria Vendida é fundamental

 
A partir do momento que a expressão CMV fizer sentido para os colaboradores da empresa, toda a sequência de etapas poderá ser realizada com efetividade. Esse conjunto de processos e métodos de organização ajuda o seu negócio a ter total controle do que acontece dentro das áreas responsáveis pela produção e também ajuda a espalhar o entendimento de que quanto mais as etapas forem realizadas com sucesso, mais otimizado o Custo de Mercadoria Vendida será.
 
Portanto, se todo produto que não for vendido ficar no estoque ou for descartado por conta de validade, aí está uma grande fonte de prejuízos que o seu negócio pode ter. Evite! Por outro lado, com uma boa gestão do CMV, a probabilidade destes custos se transformarem em boas receitas é ainda maior. Fique atento, foque nisso e eleve os resultados o seu negócio!