Você sabe o que significa Brainstorming?

Você sabe o que significa Brainstorming?

Empresários e empreendedores sabem que, para se manter competitivo no mercado, é necessário investir e oferecer aos stakeholders da empresa, soluções inovadoras e criativas para os mais diversos tipos de necessidades que eles tenham. Esta exigência se dá, pois muitas mudanças aconteceram e continuam acontecendo no mundo empresarial e isso faz com que as organizações sejam obrigadas a se adequarem e renovarem suas estratégias frequentemente, caso contrário perderão posicionamento perante seus concorrentes, que não respiram em momento algum, alimentando o anseio de se tornarem líderes de mercado.
 
Diante disso, nos mais diversos tipos de empresas, sejam elas pequenas, médias ou grandes, é aplicada uma técnica, que visa encontrar estas soluções inovadoras e criativas, para, em seguida, implementá-las, no sentido de resolver um problema ou oferecer novos produtos ou serviços aos clientes, que facilitem a sua vida no cotidiano. Estou falando do brainstorming, que tem auxiliado inúmeras equipes de trabalho, bem como organizações de segmentos distintos, a potencializarem seus resultados, por meio da realização do trabalho em conjunto, que leva em conta a criatividade e tem o intuito de torná-la cada vez mais estratégica e competitiva.
 
Acompanhe-me nesta leitura e descubra como o brainstorming pode ajudar você e a sua empresa e continuarem atuando no mercado, se reinventando a todo momento diante das mudanças.
 

O conceito de brainstorming

 
Termo bastante utilizado principalmente por profissionais da área de marketing, publicidade e propaganda, o brainstorming, também conhecido como “tempestade cerebral” ou “tempestade de ideias”, é o conceito que diz respeito à técnica, muito utilizada no ambiente empresarial, para desenvolver, estimular e potencializar uma equipe de trabalho a sugerir ideias, no sentido de encontrar novas soluções para um problema recorrente ou um problema novo que surgiu dentro da empresa.
 
Geralmente, o brainstorming é aplicado em reuniões, em que são realizadas algumas dinâmicas de grupo, e podem durar minutos, horas ou alguns dias. Entre o seu principal objetivo, está o estímulo à criatividade, onde todos os seus participantes podem, e devem, dar sugestões, sejam elas quais forem, sem serem julgados por isso, uma vez que tudo o que é dito pode ser aprimorado e implementado para solucionar problemas internos da empresa ou oferecer serviços e produtos inovadores aos clientes da organização.
 

Como funciona na prática?

 
Existem algumas regras que são comuns aos mais diversos exemplos de brainstorming, e precisam ser levadas em consideração para que o processo criativo da equipe flua da melhor maneira possível e os objetivos propostos no início das dinâmicas sejam alcançados com assertividade. Veja alguns destes fatores a seguir:
 

Um processo sem críticas

 
É fato que, todos nós, temos a tendência a, de imediato, fazer críticas, nem sempre construtivas, quando alguma sugestão nos é dada. Parece que ativamos o modo criticar e logo podamos a pessoa ou as pessoas ao nosso redor, bem no momento em que eles estão apenas querendo contribuir com algo. Este é um comportamento que não deve existir em um processo criativo de brainstorming.
 
Digo isso, pois as críticas negativas são inimigas e cerceiam as boas e melhores ideias, já que o indivíduo que está compartilhando o seu posicionamento e dando uma sugestão de melhoria, acaba sentindo-se acanhado, perdendo assim, a vontade de continuar contribuindo para que se encontre as tão necessárias soluções criativas e inovadoras.
 
Sendo assim, quando você estiver em uma dinâmica de brainstorming, seja o primeiro a se policiar nas críticas, para que assim, sua equipe o enxergue como um exemplo de aceitação de todos os tipos de ideias, das mais comuns às mais “loucas”.
 

Todas as ideias devem ser estimuladas

 
Como eu estava dizendo no item anterior, não importa a ideia, se é absurda ou não, se é muito simples, muito engenhosa, trabalhosa, enfim, o que importa é que ela deve surgir na cabeça de seu proponente e deve ser compartilhada com todos, para que exista a possibilidade de ser desenvolvida e, assim, aprimorada, caso seja escolhida para resolver algum tipo de problema.
 
Assim, além de todos terem como função não julgar as ideias compartilhadas, é dever comum, estimular e encorajar todos a “colocarem suas ideias na mesa”, para que sejam discutidas da melhor maneira possível, levando em consideração os fatores relacionados ao problema em questão, e, com isso, se chegue aos objetivos propostos no início do processo.
 

Quantidade é melhor do que qualidade

 
Por fim, não é a qualidade da ideia ou sugestão que será levada em consideração ao longo deste processo. O que deve ser considerada é a quantidade de ideias compartilhadas, visto que todas, ou grande parte, podem ser aproveitadas e melhoradas, para a sua aplicação, não só na situação específica analisada no brainstorming, mas também para solucionar problemas que envolvam outras questões relacionadas à empresa, bem como a seus stakeholders e clientes.
 
Levando estes três princípios básicos em conta na hora de convidar a sua equipe de colaboradores para um brainstorming, as chances de ter acesso ao que há de melhor no que diz respeito à inovação e criatividade, são infinitas e podem levar a sua empresa a alcançar resultados e patamares nunca antes imaginados. Experimente e depois me conte como foi este processo dentro de sua organização.
 
Gostou do meu novo artigo? Deixe o seu comentário e lembre-se de continuar acompanhando meus conteúdos aqui, em meu canal no Youtube e em minhas redes sociais.