Saiba mais sobre Custos Variáveis e Fixos

Saiba mais sobre Custos Variáveis e Fixos

 Gestores de empresas de todos os portes precisam ter o conhecimento de como calcular os custos variáveis e fixos mesmo que contem com profissionais da área de contabilidade para realizar essa tarefa. O controle sobre as finanças do empreendimento faz toda a diferença para o sucesso de um negócio, disso depende a assertividade para elaborar um planejamento consistente para o futuro.

Custos variáveis e fixos: O que são?

Antes de listar dicas para o cálculo dos custos fixos e variáveis devo conceituar esses dois indicativos.

– O que são custos fixos?

Podendo ser chamados também de custos de estrutura, os custos fixos, são aqueles não sofrem variação quando a produção aumenta ou diminui. Uma forma simplificada de explicar quais são os custos abarcados no conjunto de fixos é defini-los como os custos que a empresa continua a ter mesmo que não venda seus produtos e/ou serviços. Dentre os principais custos fixos de uma companhia estão: conta de luz, serviço de limpeza, aluguel, impostos, segurança, conta de água, conta de telefonia entre outros.

– O que são custos variáveis?

Nessa categoria estão os custos que são modificados conforme o aumento ou redução da demanda produtiva da companhia. Quando há aumento na linha de produção, por exemplo, se mostra necessário fazer um investimento mais significativo em matéria prima e pagar horas extras para os funcionários da linha de montagem que precisarão trabalhar mais. Entram nessa categoria de custos as despesas diretas com a produção, mão de obra, compra de matéria prima, pagamento de comissões entre outros.

5 Dicas de como calcular custos variáveis e fixos

Após a conceituação desses dois tipos distintos de custos vou apresentar dicas de como realizar o cálculo dos mesmos com assertividade.

1 – Entenda que alguns custos variam, mas são fixos

Antes de dar início ao cálculo dos custos fixos e variáveis da sua organização é essencial saber como diferenciá-los. Alguns gestores ficam em dúvida em relação a alguns custos específicos que apresentam comportamento variável, mas que podem ser interpretados como fixos. Na verdade depende da forma como o seu negócio utiliza os recursos em questão para que eles sejam entendidos como variáveis ou fixos.

Vou exemplificar através da fatura de água mensal, mesmo que haja alguma variação de um mês para outro de maneira geral é um custo fixo. No entanto, companhias que utilizam água como parte de seu processo produtivo podem interpretar a conta de água como um custo variável haja vista que a maior produção acarretará em aumento de custos para a produção.

2 – Faça uma lista com os custos fixos e variáveis

O segredo para o cálculo correto dos custos, fixos e variáveis, de uma companhia é saber fazer a diferenciação entre eles. Crie duas listas sendo uma com todos os custos variáveis e outra com todos os custos fixos. Depois você só precisa somar os custos de cada uma das listas para saber quanto tem de gasto em cada uma das categorias.

Ao perceber que uma das categorias ou ambas estão com valores muito altos é interessante observar cada item para identificar onde é possível reduzir os seus custos tendo resultados mais positivos a médio e longo prazo. Esse é um processo que demanda bastante atenção por parte do gestor, afinal sua base de custos diz muito sobre como a organização está em termos de saúde financeira.

3 – Saiba calcular o ponto de equilíbrio

O conceito de ponto de equilíbrio também é extremamente relevante para acompanhar a saúde das finanças da sua organização. Basicamente esse indicador se refere ao valor que precisa ser faturado no mês para que todas as despesas possam ser pagas mantendo a operacionalidade do empreendimento.

O valor de equilíbrio é o que precisa ser faturado para que a empresa não dê prejuízo, a partir dele se tem o lucro. O empresário precisa ter conhecimento da margem de contribuição para que possa calcular o ponto de equilíbrio.

4 – Conheça a margem de contribuição

Margem de contribuição é um indicador financeiro que se refere aos valores que sobram da receita bruta depois de subtrair os custos. Esse é o valor dos lucros que são obtidos na venda dos produtos após ter diminuído o valor dos custos necessários para a sua produção. A análise dessa margem permite identificar quais são os produtos que geram lucro e dentre eles quais são os mais lucrativos para a sua empresa.

5 – Contrate um contador

O auxílio de um profissional da área de contabilidade é fundamental para negócios de todos os segmentos, independente do tamanho. Além da gestão dos impostos e contribuições o contador irá auxiliar na manutenção dos números da sua empresa em dia. Nem todo empreendedor tem plenos conhecimentos a respeito de finanças e gestão devendo ter uma base de funcionários para ajudá-lo.

Gostou de saber mais sobre custos variáveis e fixos? Compartilhe em suas redes sociais!

 

Copyright: 1214871877- https://www.shutterstock.com/pt/g/joy9940