Saiba quais são os fatores de risco de um projeto

Saiba quais são os fatores de risco de um projeto

Mesmo o projeto mais cuidadosamente planejado pode ter problemas. Um dos colaboradores responsáveis pode ficar doente ou sair da empresa, os recursos que seriam utilizados podem se tornar indisponíveis e vários outros fatores podem atrapalhar a execução de um projeto. Então isso significa que você se torna impotente perante problemas desconhecidos? Não! É aqui que entra o gerenciamento de riscos, criado para identificar possíveis situações que podem causar problemas para o seu projeto, a fim de evitá-las ou minimizá-las.
 
Um risco é qualquer evento ou condição incerta que possa afetar o seu trabalho. Entretanto, é preciso deixar claro que nem todos os riscos são negativos. Alguns eventos, como encontrar uma maneira mais fácil de realizar uma atividade, ou condições, como preços mais baixos para determinados materiais, podem ajudar seu projeto. Esse tipo de situação é chamado de oportunidade, mas também é tratada como um risco.
 

Sistemas de Gestão de Risco

 
Os Sistemas de Gerenciamento de Risco são projetados para fazer mais do que apenas identificar o risco. Eles devem ser capazes de quantificar e prever o impacto do problema no projeto. O resultado é, portanto, um risco aceitável ou inaceitável. A aceitação ou não aceitação geralmente dependente do nível de tolerância do gerente.
 
Se a gestão de riscos for configurada como um processo contínuo e disciplinado de identificação e resolução de problemas, o sistema complementará facilmente outros pontos. Isso inclui a organização, o planejamento e o controle de custos. Dessa forma, as situações inesperadas serão diminuídas porque a ênfase será na gestão proativa ao invés de reativa, ou seja, o foco será na prevenção e não na remediação.
 

A Gestão de Risco Deve Ser Um Processo Contínuo

 
Assim que a equipe do projeto identifica todos os possíveis riscos que podem comprometer o sucesso do trabalho, deve-se definir quis são aqueles mais susceptíveis de ocorrer. Para isso é necessário se basear em experiências anteriores, lições aprendidas, dados históricos, etc.
 
É mais comum que os riscos de um projeto surjam no início, depois que tudo está encaminhado as chances de acontecer algo inesperado diminuem. Por isso, a gestão dos riscos deve ser feita no início do ciclo de vida do projeto, mas precisa ser contínua para garantir que tudo saia o mais próximo do esperado possível.
 

Formas Básicas Para Lidar Com um Risco

 
Quando você está planejando seu projeto, os riscos ainda são incertos: eles ainda não aconteceram. Mas, eventualmente, alguns dos problemas que você planeja acontecem e é quando você tem que lidar com eles. Há quatro maneiras básicas de lidar com um risco.
 
Evitar: A melhor coisa que você pode fazer com um risco é evitá-lo. Se você pode impedir que isso aconteça, definitivamente não vai prejudicar o seu projeto. A maneira mais fácil de evitar esse risco é mudar seu plano de ação a fim de que ele não aconteça.
 
Minimizar: Se você não pode evitar o risco, você pode minimizá-lo. Isso significa agir de forma com que ele cause o mínimo de danos possíveis ao seu projeto.
 
Transferir: Uma maneira eficaz de lidar com um risco é pagar alguém para resolvê-lo para você. A maneira mais comum de fazer isso é contratando um serviço de seguro.
 
Aceitar: Quando você não pode evitar, minimizar ou transferir um risco, então você tem que aceitá-lo. Mas mesmo quando você aceita um risco, é importante que já o tenha analisado a fim de saber o que vai acontecer se ele ocorrer. Se você não pode evitar um risco, e não há nada que possa fazer para reduzir o seu impacto, então aceitar é a sua única escolha.
 
No momento em que um risco realmente ocorre, é tarde demais para fazer algo a respeito e alterar o escopo do projeto. É por isso que você precisa planejá-los desde o início e fazer disso um processo contínuo.
 
Alguns riscos são técnicos, como um componente que pode revelar-se difícil de ser utilizado, por exemplo. Outros são externos, como mudanças no mercado ou mesmo alterações climáticas. Tudo irá depender do seu ramo de atuação, por isso não há uma fórmula pronta para lidar com riscos, mas sim técnicas que devem ser aplicadas de acordo com o cenário no qual o negócio está inserido.
 

Identificação dos Fatores de Risco

 
Um processo mais disciplinado envolve o uso de listas de verificação de riscos potenciais e a avaliação da probabilidade de esses eventos ocorrerem. Algumas empresas desenvolvem essas listas com base na experiência adquirida projetos anteriores. Essas listas de verificação podem ser úteis tanto para o gerente quanto para a equipe do projeto na identificação de riscos específicos.
 
Identificar as fontes de risco por categoria é outro método interessante para explorar os potenciais riscos em um projeto. Alguns exemplos de categorias de riscos potenciais incluem:
 
• Técnico
 
• Custo
 
• Cronograma
 
• Cliente
 
• Contratual
 
• Clima
 
• Financeiro
 
• Político
 
• De Meio Ambiente
 
• Pessoas
 
A categoria de pessoas pode ser subdividida em diferentes tipos de riscos associados, como, por exemplo, não encontrar pessoas com as habilidades necessárias para executar o projeto ou a repentina indisponibilidade de pessoas importantes. Com base nessas categorias básicas você poderá montar a sua própria lista de riscos e se planejar para lidar com cada um.
 
Sua empresa conta com um processo de gerenciamento de riscos? Divida sua experiência comigo nos comentários.