Governança da Inovação - Saiba o que é

Governança da Inovação - Saiba o que é

O conceito de Governança da Inovação se mostra essencial para as empresas que desejam manter a sua competitividade no mercado. Vivemos um momento em que inovar é o combustível para entregar ao público consumidor aquilo que ele deseja receber. O gerenciamento da inovação é a maneira pela qual os resultados tendem a ser exponencialmente elevados alcançando resultados mais significativos.

O que é Governança da Inovação?

Para entender o conceito de Governança da Inovação é interessante pensar em inovação e governança em separado. A definição de inovação não é um consenso, no entanto, grande parte dos autores concorda que se trata de uma ação empreendedora (não necessariamente relativa a uma ação empresarial) de identificar um problema e lhe atribuir uma solução satisfatória.

Ressalto que inovar não significa somente ter ideias criativas, mas também encontrar meios de torná-las aplicáveis no cotidiano resolvendo pendências. Por sua vez governança é um sistema de gestão que organiza as estruturas e os processos de empresas para que utilizem seus recursos com assertividade gerando valor. É importante dizer que a governança pode ser aplicada em companhias de todos os portes.

A junção de governança e inovação na prática significa fazer com que os recursos da empresa sejam utilizados com o objetivo de gerar ideias inovadoras. Os modelos de Governança da Inovação têm como foco orientar as equipes para que elas aloquem responsabilidades para inovar dentro de si mesmas. Trata-se de um sistema de gestão em que se faz o gerenciamento da inovação por meio de um modelo organizacional. Em suma seria a criação de uma rotina para desenvolver a inovação.

6 Dicas de como aplicar a Governança da Inovação na sua empresa

Como já mencionado esse conceito pode ser aplicado em companhias de todos os portes, não são somente as grandes corporações que podem gerenciar a sua capacidade de inovação.

1 – Comitê

Uma forma válida de inserir as práticas de Governança da Inovação no cotidiano das empresas se dá por meio da criação de um comitê de inovação que terá como responsabilidade a coordenação das atividades internas. O objetivo é que haja um grupo de pessoas cuja responsabilidade seja incentivar a manutenção de práticas inovadoras. Se os colaboradores não estão inseridos num ambiente que propicia a inovação dificilmente entregarão os resultados esperados.

2 – Direcionamento da inovação

Dentro do comitê de Governança da Inovação é necessário que haja um nível de alta gestão cujo papel nada mais é do que direcionar os esforços da organização a um objetivo palpável para o seu crescimento. Para trabalhar na construção de um escopo de diferenciação é fundamental entender em que se deseja ser diferente das demais corporações.

A pergunta fundamental é: “Em que parte do empreendimento seremos inovadores?”. A resposta para essa questão precisa estar devidamente alinhada com a estratégia da companhia sendo posteriormente desdobrada em tipos e temáticas inovadoras. Em paralelo o grupo da alta gestão precisa determinar o orçamento e as metas que serão buscadas pelos programas.

3 – Administração dos processos de inovação

Para que as soluções de inovação adotadas pela empresa sejam realmente válidas precisam ser acompanhadas por representantes de diferentes áreas cujo papel é gerenciar esse processo de inovação bem como verificar a pertinência dos resultados. Esse grupo configura o comitê de inovação e tem como foco priorizar os projetos. Realizam a comunicação interna e definem políticas de incentivo para se envolver com o tema.

4 – Lideranças que facilitam a inovação

No dia a dia de companhias de diferentes portes é comum que se inicie um processo de inibição de busca pela inovação seja pela pressão das questões rotineiras e operacionais ou simplesmente pelo medo de correr riscos. Não se pode deixar que essa cultura de se expor menos determine a redução do ritmo de produção de ideias inovadoras.

Uma forma de estimular um comportamento mais inovador dentre os componentes da companhia é destacar lideranças intermediárias com esse papel. Esses líderes devem atuar como catalisadores do processo criativo, serem pontos referenciais de como é positivo pensar diferente do que está previamente estipulado. Lembre-se que os colaboradores da sua companhia serão muito mais influenciados pelos exemplos do que pelas palavras.

5 – Avaliação focada em parâmetros de inovação

Como solicitar que um indivíduo tenha uma postura de inovação em seu dia a dia se os parâmetros para avaliá-lo estão focados somente em aspectos de rotina e operacionais? As pessoas respondem aos estímulos a que são apresentadas de maneira que é fundamental em diferentes níveis que esses estímulos estejam focados em ações inovadoras.

6 – Recompensas pelos resultados

Acima falei sobre estímulos e isso pode ser aplicado também no que diz respeito a recompensa pelos acertos e bons resultados conquistados. Os colaboradores envolvidos nos projetos de inovação precisam ser devidamente recompensados pela sua atuação e pelos bons resultados que são capazes de entregar.

Gostou de saber mais sobre Governança da Inovação? Deixe seus comentários abaixo!

Copyright: 1054481990 – https://www.shutterstock.com/pt/g/supervector555