Conhecendo o a viabilidade de um produto - MVP

Conhecendo o a viabilidade de um produto - MVP

Toda e qualquer ideia tem uma origem, razão de ser, ou seja, partiu de algum lugar e da mente de alguma pessoa. Em se tratando da criação de produtos isso vai além, uma vez que se eles serão o carro chefe da empresa, exigem, portanto, muita pesquisa, avaliação, testagem e, claro, mão na massa, especialmente, quando se fala em inovação, em fazer algo novo que ninguém ainda fez.
 
Por isso, principalmente nos negócios que seguem o modelo de startup, existe uma sigla que pode ajudar bastante nesses primeiros momentos, o MVP. Mas o que é isso? É o que vamos ver a seguir!
 

Decifrando o que o MVP oferece

 
MVP é a sigla em inglês para o termo: Minimum Viable Product, que traduzido para o português seria Produto Minimamente Viável. Este é um conceito que se aplica ao criar uma peça que não é necessariamente a ideia de um produto final, mas sim uma espécie de protótipo que apresenta suas principais funções. Esse objeto não pode, no entanto, ser pobre em funcionalidades, já que a principal ideia do MVP é criar produto mais fácil de ser concebido, com menos gastos, porém funcional para que assim ele possa ser avaliado e oferecer as referências buscadas.
 
Basicamente o que o seu MVP precisa para realizar sua tarefa é conseguir chegar a possíveis clientes e, de fato, resolver o seu problema. Depois isso, da aceitação do mercado, fica bem mais fácil de a empresa começar a pensar na produção real, nos reajustes, nos preços e em tudo que envolve o lançamento de um novo produto.
 

Etapas a serem seguidas até o momento da construção do produto em si

 
O que mais norteia a empresa em relação a estar seguindo ou não o caminho certo são os feedbacks das pessoas que entraram em contato direto com o seu MVP. Para isso, comece a reunir informações importantes que serão apresentadas a esses potenciais clientes e esteja preparado no momento de mostrar a sua proposta de produto. Siga então o seguinte esquema:
 
● Tenha em mente quem seriam seus potenciais compradores;
 
● Onde que esse produto será lançado? Como as pessoas saberão sobre ele?
 
● Qual o custo por venda dele?
 
● Quais recursos serão utilizados para a sua construção?
 
● Basicamente, o que a sua ideia faz e o que ela resolve na vida do cliente?
 
● Quais os passos a serem executados depois de se ter os investidores certos ao lado?
 
É muito importante que o empreendedor tenha muitos dados de pesquisa em mãos antes de aplicar seus recursos e conhecimentos na concepção deste item. Consequentemente, é necessário que um grupo seleto de potenciais compradores seja à base dos feedbacks que o seu produto vai precisar, sem contar que será essencial que você escute tudo que eles têm a dizer e a questionar, para que isso se reflita depois na construção do seu produto.
 

Como ter certeza de que esse é o caminho certo?

 
Empreender não é nenhuma fórmula matemática que sempre segue um padrão de resposta ou que se pode prever rapidamente o resultado. Mas é possível identificar o sucesso do seu Produto Minimamente Viável quando aparecerem investidores interessados em levar o seu negócio adiante, ou então, quando você conseguir realmente resolver um problema que tem grande público a ser impactado.
 

Case de um MVP de sucesso

 
Uma startup desejava resolver o problema do reflorestamento brasileiro. Na visão da empresa, ele era feito de maneira muito lenta, cara e sem conseguir cumprir todo o território brasileiro. A ideia era criar um método que ajudaria a plantar mais e mais sementes rapidamente e também incluir locais de difícil acesso de maquinário. Portanto, o produto a ser desenvolvido consistia num drone que teria a capacidade de lançar essas sementes com a pressão necessária para que elas encontrassem lugar na terra para crescer.
 
A questão apontada no trabalho é que enquanto esse processo fosse manual ou com máquinas agrícolas, demoraria em torno de um dia inteiro para cumprir 5 metros quadrados de plantio, enquanto com um drone, nesse mesmo período conseguiria lançar as sementes em 500 metros quadrados. Mas e como conseguir prototipar algo que ainda não foi inventado, que é extremamente inovador? Para começar, com um MVP, que conquistaria parceiros de investimento interessados em assuntos ambientais, e a quem deveria mostrar que era possível usar essa técnica e obter sucesso no reflorestamento.
 
No entanto, construir um modelo real do produto seria impossível pelos custos que a startup não teria como cobrir. O jeito foi usar uma tecnologia já existente no universo dos drones de treinamento de campos de paintball que tinham um mecanismo de lançamento de bombinhas de tinta à pressão com o estudo de que tipo de sementes que conseguem germinar sendo jogadas em qualquer tipo de terreno.
 
Mesmo assim, o MVP desta startup foi levado a feiras de tecnologia e ao encontro de possíveis investidores mostrando como esse protótipo simples, que ainda não estava completo ou representava a ideia final do produto. Mesmo assim, ele conseguiu exemplificar a ideia central do projeto. No fim, com a quantidade de investidores certa, a startup conseguiu lançar seu produto oficial no mercado e reunir parceiros que se interessaram em levar a inovação adiante.
 

Toda empresa precisa começar de alguma forma

 
O certo é que nem todas possuem todos os recursos necessários para lançar seus produtos de imediato, principalmente se a sua ideia envolver alguma solução inovadora do mercado. É necessário conhecer seu público-alvo, entender seu problema, mostrar como você pensa em solucioná-lo para, então, conseguir criá-lo da melhor forma possível. Pense nisso e, ao pensar em lançar algo novo, use o método MVP para testar sua viabilidade e evitar custos desnecessários para sua empresa. Dessa maneira, fica muito mais viável chegar ao sucesso e desenvolver ideias que realmente sejam inteligentes e lucrativas para o seu negócio.