Veja a importância da ferramenta compliance para sua empresa

Veja a importância da ferramenta compliance para sua empresa

Existem dezenas de imposições regulatórias com as quais o empreendedor tem de se preocupar, tanto no que tange à empresa em questões internas, quanto a regulamentos externos. São leis, obediência estrita à CLT, conformidade contábil, sintonia com obrigações fiscais, dentre tantas outras regras.
 
Tudo isso pode gerar dores de cabeça para quem é empreendedor ou está à frente de uma organização, pois com tantas variáveis, qualquer descuido, mesmo que pequeno, pode vir a causar restrições legais, multas, processos e até mesmo colocar a reputação da empresa em cheque. Por isso, caro amigo empreendedor, opte sempre por se prevenir, esse é o melhor remédio para aquele não prejudicar o seu negócio.
 
E para equilibrar toda essa equação e também evitar possíveis desgastes no futuro, é que foi criado o Compliance, segundo Vicente, Pedro (2014)¹ esse é um dos mecanismos fundamentais para a implementação, consolidação e aperfeiçoamento de uma governança corporativa. Estar em “compliance” é estar a par e seguir os regulamentos externos e internos que refletem em sua organização.
 

O que é Compliance?

 
Compliance em tradução livre seria “conformidade”, porém quando conjugado no verbo em inglês “to comply”, que em português é “cumprir”, temos o seu significado realmente abrangente e entendemos que esse se trata de garantir que a sua empresa esteja cumprindo todos os regulamentos externos e internos que a engloba. Sendo esses seus valores, sua missão, visão e também aquelas que são externas, que seriam as políticas e diretrizes do ramo de atuação do seu negócio, isso tanto para as esferas trabalhistas, fiscal, contábil, financeira, quanto para as áreas, ambiental, jurídica, previdenciária, ética e entre outros.
 
Quando a atividade de compliance surgiu, especialmente nas instituições financeiras, grande parte delegou a atividade para ser exercida pela assessoria jurídica, considerando a facilidade dos mesmos nas interpretações dos instrumentos legais. As empresas que possuem grande responsabilidade jurídica e normativa em seus atos, são as que mais precisam implantar um departamento que assegure a conformidade de seus atos ou, pelo menos, ter uma assessoria externa para agir em apoio à sua alta direção.
 
Atualmente as necessidades passaram a demandar que a atividade “compliance” seja um cargo que vai além de normas e políticas, e, portanto, devemos incluir os processos, daí a importância do mapeamento dos mesmos e sua gestão, buscando suas melhorias.
 
A empresa precisa contar não apenas com assessoria jurídica, mas também com outros profissionais de controles internos e análise de riscos, como parte constituinte no procedimento de construção de um departamento nesse campo, no que se refere ao entendimento das leis e normas internas.
 
Portanto, o profissional de compliance precisa compreender mais amplamente as suas funções que vão além de simplesmente elaborar e publicar normativos e procedimentos, direcionando as responsabilidades aos gestores de áreas. Esse profissional também irá avaliar cada risco operacional que as atividades da organização podem trazer, além de organizar as leis de acordo com a empresa e trabalhar para manter a gestão das pessoas, da área contábil e também ajustar tudo para tentar prevenir qualquer assunto fraudulento que possa existir relacionado ao negócio.
 
Eles precisarão entender o que está sendo cobrado e como podemos melhorar as atividades e viabilizar maiores índices de eficiência operacional, eficácia e confiabilidade das informações, que é à base de toda decisão.
 

E quais são os benefícios para as empresas que adotam o Compliance?

 
Como já foi dito acima, a implantação dessa ferramenta em sua empresa auxiliará e dará segurança à conformidade em relação às leis e regulamentos, evitando assim, litígios, multas financeiras, processos, restrições regulatórias e muitas outras punições, que podem vir a acontecer.
 
Além disso, poderá evitar uma exposição negativa da imagem de sua empresa diante do mercado. Podendo evitar que ela seja ligada a fatos depreciativos, como ser associada a atos de corrupção, condutas antiéticas, fraudes, problemas relacionados ao meio ambiente, entre outros, trazendo e gerando certa interferência com o ganho de credibilidade por parte de clientes, investidores, fornecedores e parceiros.
 
O compliance também ajudará a aumentar a eficiência operacional e a qualidade dos produtos fabricados, e também dos serviços prestados por sua organização, melhorando os níveis de governança corporativa e oferecendo a prevenção.
 
Após todas essas informações, fica claro, para nós empreendedores, o quanto o compliance é importante para que as empresas possam se desenvolver e crescer de maneira saudável, evitando qualquer desgaste desnecessário por parte da sua empresa e do capital humano com a qual ela se envolve.
 
Se você ainda não utiliza essa ferramenta, indico a você à implantação do compliance em sua organização e negócio, assegurando de que o mesmo funcionará em conformidade e poderá crescer sem barreiras neste sentido.
 
Referências
 
Ref¹: Vicente, Pedro Miguel dos Santos Ferreira. Corporate governance e setor empresarial público em Portugal: contributo para um normativo regulador. Diss. Instituto Superior em Ciências Sociais e Políticas, 2014.