Sua empresa investe na educação financeira dos colaboradores?

Sua empresa investe na educação financeira dos colaboradores?

A educação financeira dos colaboradores tem entrado na pauta de muitas empresas que entendem que esse tipo de problema pessoal pode acabar interferindo na produtividade dos seus profissionais. Quando uma pessoa tem dificuldades referentes à administração do seu próprio orçamento, tende a ficar mais distante em relação às tarefas que precisa realizar. A preocupação e a falta de noites tranquilas de sono que as dívidas geram representam os principais motivos de queda de desempenho.
 

Qual a Importância da Educação Financeira dos Funcionários Para a Empresa?

 
As finanças pessoais deixam de ser um assunto relativo apenas aos indivíduos quando se tornam motivo de distração das tarefas profissionais e trazem problemas de relacionamento para o escritório. Em tempos de crise econômica, é natural que mais pessoas enfrentem dificuldades para manter o seu orçamento e essa questão pode resultar até mesmo no desenvolvimento de patologias de fundo nervoso.
 
O que muitas companhias têm feito para manter seus colaboradores produtivos e focados é lhes oferecer dicas a respeito de como evitar e sair de endividamentos. Porém, é importante que as organizações saibam qual é a maneira mais assertiva de abordar os seus funcionários a respeito desse tema. Para algumas pessoas é difícil admitir que têm um problema, assim como aceitar a solução, que é algo que demanda sacrifícios.
 

Programa de Educação Financeira e Seus Objetivos

 
Investir na criação de um programa de educação financeira para colaboradores pode eximir a companhia de uma série de custos. Quando o desespero bate, é natural que os funcionários se tornem mais impacientes para obter aumento salarial ou mesmo resolvam se dedicar a trabalhos freelancer nos momentos de folga – algo que afeta a qualidade da sua produtividade pela falta de descanso.
 
O mais curioso é que o aumento de ganhos – seja pelo aumento salarial ou pela realização de trabalhos extras – não resolve a questão do endividamento, pois quanto mais se tem, maiores são os gastos realizados pelo indivíduo. Para pessoas que estão tendo dificuldades em quitar as suas dívidas e sobreviver com o que ganham, nada é melhor do que aprender como encaixar seu padrão de vida em suas possibilidades reais, bem como a negociar com os credores.
 

Ensinando a Aplicar o Trabalho Profissional na Vida Pessoal

 
Por mais estranho que pareça, boa parte dos indivíduos que sofre com dificuldades financeiras tem grande talento para estabelecer e atingir metas no ambiente corporativo. O que acontece é que essa pessoa não consegue transpor seus conhecimentos profissionais para a sua vida pessoal. Uma das primeiras ações do programa de educação financeira é demonstrar que se pode estabelecer um paralelo entre o que se faz na companhia e na vida pessoal.
 

Palestras e Workshops

 
Pode ser bastante positivo começar a realização do programa focado em educação financeira com palestras direcionadas a todos os colaboradores. Conforme forem sendo identificados os indivíduos que têm maiores dificuldades, a companhia pode oferecer workshops que ensinem na prática como se manter com estabilidade financeira. Um número significativo dos endividados brasileiros tem menos de 40 anos e uma explicação para tal é o desconhecimento de dificuldades.
 
O Plano Real tem pouco mais de 20 anos no mercado, pessoas que começaram a ser remuneradas com nossa moeda atual não passaram pelas incertezas da época de corte de zeros e mudanças de preços a cada dia. Embora seja desgastante viver com medo de não ter dinheiro suficiente para fazer compras básicas no supermercado, é algo que ensina como administrar os seus ganhos com mais assertividade. As organizações compreenderam que não é a má vontade dos seus colaboradores que os fazem cair em abismos de dívidas, e sim o simples despreparo.
 

Incentivo a Manter os Sonhos Vivos

 
Educação financeira pode ir muito além de, simplesmente, ensinar a como não contrair ou se livrar de dívidas, pode representar aquele empurrãozinho para que o indivíduos descubra que pode sonhar com a compra de uma casa própria para sua família ou, mesmo, com uma viagem para o exterior. Pessoas que têm objetivos bem definidos tendem a trabalhar com mais empenho, buscando reconhecimento e crescimento no mercado.
 
Dessa forma, as empresas podem oferecer palestras e, até mesmo, conteúdos digitais – por meio de blogs ou intranet – em que ajudem o colaborador a compreender como pode economizar para realizar esses sonhos. Os desejos de conquista movem a vida de muitas pessoas que ficariam estagnadas se não tivessem essa motivação com que trabalhar.
 

Empresa Que Educa Financeiramente Sai Ganhando

 
Já foram realizadas inúmeras pesquisas que ajudaram a delinear os ganhos que as companhias que oferecem acesso a educação financeira para os seus colaboradores possuem. De maneira geral, se observa o aumento de produtividade, uma vez que os funcionários não têm problemas cercando a sua cabeça o dia todo. Contudo, existe ainda a criação de um relacionamento mais sólido entre empregador e empregado. Sentir-se acolhido pela corporação em que se trabalha contribui para menor rotatividade.
 
O que você acha a respeito de educação financeira nas empresas? Deixe o seu comentário!