O que fazer quando um colaborador tem problema com alcoolismo?

O que fazer quando um colaborador tem problema com alcoolismo?

O alcoolismo é uma doença bastante complicada porque as bebidas são legalizadas e estão em toda a parte. Todos nós conhecemos pelo menos uma pessoa que passa ou já passou por essa situação e podemos ver o quanto é complicado sair dela. É um problema que não afeta apenas o dependente, mas também a sua família, amigos e colegas de trabalho.
 
Manter qualquer tipo de relação com alguém que possui um vício é complicado porque, na maioria das vezes, ficamos sem saber como agir. Algumas pessoas, mesmo com boa intenção, erram porque acreditam que a solução seja ter força de vontade ou procurar uma igreja. Entretanto, não podemos nos esquecer que se trata de uma doença e deve ser tratada com tal, com a ajuda de especialistas.
 
No artigo de hoje darei conselhos de como agir quando um colaborador enfrenta problemas com o alcoolismo. As atitudes do empregador são muito importantes e fazem toda a diferença para a recuperação do dependente.
 

Como Identificar um Colaborador Dependente de Álcool

 
Antes de mais nada, é importante estar sempre atento aos funcionários, não apenas para verificar a produtividade, mas também para perceber qualquer problema que possa estar acontecendo, o que inclui: depressão, assédio moral, sexual e, claro, o alcoolismo. Quando alguém está passando por qualquer uma das situações que citei, é natural que dê sinais que podem ser percebidos em seu comportamento. No caso do alcoolismo os sinais mais comuns são:
 
• Atrasos frequentes ao trabalho.
 
• Odor de bebidas.
 
• Aparentar embriaguez.
 
• Ser visto com frequência em bares antes ou após o expediente.
 
• Falta de apetite.
 
• Desânimo e depressão.
 
• Redução da produtividade.
 
Os sinais que citei, quando isolados, não significam que se trata de um dependente do álcool. Porém, quando o indivíduo apresenta mais de um deles, possivelmente se trata de um caso de dependência e precisa ser tratado com atenção.
 
Nem todos desenvolvem a doença da mesma forma, pois enquanto alguns chamam mais a atenção, principalmente quando estão sob efeito do álcool, outros são mais discretos e demoram a ser identificados. Por isso é importante estar atento para perceber caso um funcionário esteja passando por um problema deste tipo calado. Quanto mais tempo demorar para ser tratado, maiores serão os danos à saúde do dependente.
 

Um Funcionário Pode Ser Demitido Por Alcoolismo?

 
Há alguns anos, o TST, Tribunal Superior do Trabalho, vem tentando acabar com o preconceito existente em relação ao alcoolismo nas empresas. Em primeiro lugar, é necessário entender que se trata de uma doença e deve ser tratada como tal. Inclusive a OMS a classifica como Síndrome de Dependência do Álcool. Por isso, não é mais permitido demitir um funcionário por justa causa porque ele é dependente do álcool.
 
A atitude correta a ser tomada pelo empregador é encaminhar o funcionário ao INSS, para que entre de licença e possa se tratar da dependência. Então, o órgão irá verificar o caso e, se constatar que se trata de um quadro irreversível, procederá com os trâmites para a aposentadoria. A demissão por justa causa apenas é permitida nos casos em que o trabalhador volta a ter comportamentos inadequados na empresa mesmo após ter passado pelo tratamento.
 

Como Agir ao Identificar um Colaborador Dependente de Álcool?

 
A forma correta de proceder, caso um colaborador vá trabalhar sob efeito de álcool ou qualquer outra substância entorpecente, é dando-lhe uma advertência. Caso seja uma situação atípica causada por uma falta de responsabilidade, certamente não irá se repetir. Porém, se ele voltar a apresentar sinais de embriaguez durante o trabalho, é sinal de que se trata de um caso de dependência e é necessário encaminhá-lo ao INSS.
 
Por meio de uma perícia, os médicos do INSS irão verificar se realmente se trata de um caso de dependência. Caso confirmado o diagnóstico, o trabalhador terá direito ao auxílio doença durante o período em que permanecer em tratamento, da mesma forma que ocorre com qualquer outro tipo de doença.
 
Mesmo que a obrigação jurídica da empresa seja apenas de realizar o encaminhamento à previdência, é importante oferecer apoio para que o funcionário se sinta acolhido pelo empregador e colegas de trabalho. A ajuda não precisa ser, necessariamente, financeira, pode ser o que estiver dentro das possibilidades da organização. Apenas é importante não virar as costas para a pessoa neste momento tão delicado.
 

Programas de Prevenção ao Alcoolismo na Empresa

 
Mesmo que não tenha acontecido nenhum caso de alcoolismo entre os seus colaboradores, é interessante realizar um programa de prevenção com os funcionários. Palestras sobre o tema são sempre esclarecedoras e podem, inclusive, servir para que um colaborador saiba como ajudar um amigo ou familiar que estiver passando por isso.
 
Se resolver promover uma palestra com o alcoolismo como tema, procure conversar com o palestrante antes para verificar o tipo de conteúdo que ele pretende passar. Lembre-se que é necessário tratar o assunto como uma doença, que é o que a dependência do álcool é. O ideal é que seja um profissional da área da saúde com ampla experiência no tema.
 
Você já passou pela situação de ter um dependente de álcool entre os seus colaboradores? Compartilhe sua experiência comigo nos comentários.