Como lidar com profissionais com ego inflamado

Como lidar com profissionais com ego inflamado

Dentro de uma empresa existem profissionais com personalidades muito diferentes trabalhando juntas em prol do sucesso do negócio, mas existem aqueles que acreditam ser melhores que os outros e que, muitas vezes, até recebem mais atenção do que realmente merecem. Esses são os conhecidos “egos inflados” e podem se tornar uma dor de cabeça dentro da equipe se não forem conduzidos da forma mais correta possível.
 

O que essas pessoas com ego inflado pensam de si mesmas?

 
Pessoas com o ego inflado acreditam que são profissionais realmente são muito melhores do que seus colegas e até mesmo que seus líderes. Também creem que estão certas sobre suas posições, que suas sugestões e ideias são as melhores e dificilmente estão abertas a críticas. Para identificar um colaborador que age dessa forma é só observar como que ele se relaciona com os demais, se é com desdém ou com parceria. E isso diz tanto sobre esse funcionário que ele nem se dá conta.
 
Alguns psicólogos afirmam que pessoas que sofrem de ego inflado podem ter tido um excesso de atenção e admiração durante a infância, o que leva a pensarem que são extremamente especiais; diferentes e mais ”especiais” dos que seus colegas, por exemplo. Por conta disso, esta postura egocentrada acaba se refletindo também em sua carreira e criando profissionais difíceis de lidar no ambiente de trabalho, com comportamentos egoístas, arrogantes e centralizadores.
 
Mais do que autoconfiança, a pessoa com ego muito elevado tem uma autoveneração extrema e muita dificuldade em aceitar hierarquia, pois não gosta de ser comandada, mas sim de comandar, afinal, considera que não há ninguém mais preparado que ela para isso. Não suporta ser criticada também, pois tem enorme dificuldade em reconhecer seus erros e sempre arranja algum argumento para justificar suas ações. Como reflexo disso, seus colegas preferem não trabalhar na mesma equipe que o profissional, pois sabem que ele sempre tomará para si todo o mérito pelo trabalho.
 
Portanto, empreendedor, se você identifica algum de seus colaboradores com estas características é importante estar atento para que seu profissional, por melhor que seja não acabe fazendo do seu ego inflado, uma barreira à construção dos resultados com seus colegas. E mais, se você também se viu tendo os mesmos comportamentos; comece a rever seu mindset e seus posicionamentos, pois ser do tipo centralizador não vai levar seu negócio nem você muito longe.
 

O que o líder pode fazer para amenizar o problema?

 
Em se tratando do profissional de ego inflado, quem deve resolver os problemas causados por sua forma de pensar e agir é sempre líder. É o gestor que deve mostrar quais são os comportamentos recomendados aos seus profissionais, ter segurança em suas decisões, fazer valer sua autoridade frente ao grupo e deixar claro que quem comanda a equipe é ele. Ressalto isso, porque vezes o colaborador egocentrado acredita que ele é que deveria ser o chefe. Por isso, pode agir de modo subversivo e não acatar todas as ordens dadas pelo líder. Exatamente por isso que você empreendedor deve ser muito seguro de si e conversar claramente com o colaborador em busca de resolver o problema.
 
Pessoas com o ego inflado somente sentem o peso da sua personalidade quando perdem algo grande, como um cargo que almejavam na empresa ou uma chance que gostariam de ter em um projeto novo. Somente assim que eles passam a entender como seu comportamento pode ser nocivo e a enxergar o quão necessário é modificar essa forma de se posicionar.
 
Se o profissional é muito bom tecnicamente e você deseja mantê-lo em sua equipe, o líder precisa atuar como uma espécie de mentor, orientando sobre seus comportamentos e indicando os melhores caminhos para ser um colaborador mais assertivo em seu trabalho em na relação com seus colegas.
 

O que os colegas podem fazer nesses casos?

 
Uma empresa com um clima organizacional sadio tem como meta que todas as suas atividades sejam coletivas ou que sejam trabalhadas em grupo. Equipes que são estimuladas a competir tem um limite entre transformar isso em uma ação saudável ou então, estressante. Por isso, líderes e gestores devem manter a ordem de seus times com feedbacks individuais e conversas abertas entre um setor e outro.
 
Colegas que se reúnem para discutir sobre temas que envolvem o crescimento de todos são muito mais valiosos do que profissionais de ego inflado, que não querem construir resultados em conjunto. Existe algo que deve surgir de dentro das equipes, mas que deve ser estimulado pelos gestores, que é a transformação de habilidades, experiências e conhecimentos individuais numa inteligência coletiva.
 
De forma positiva, os colegas devem se importar com o que o outro está fazendo para então crescerem todos juntos. A ideia é criar sinergia, intercolaboração para fazer do ambiente de trabalho um local mais justo, positivo e produtivo para todos.