Aprenda como agir caso seu colaborador cometa furto em sua empresa

Aprenda como agir caso seu colaborador cometa furto em sua empresa

Por mais cuidado que se tenha ao contratar os seus colaboradores, não é possível conhecer completamente a índole de uma pessoa em uma entrevista. Então, é no dia a dia que cada um vai se mostrando como realmente é. Um problema bastante complicado e que acontece em algumas empresas é o furto cometido por funcionários. Neste artigo falarei sobre esse assunto, que pode ser um dos motivos para justa causa, e darei dicas de como o empregador deve agir.
 

Informações Importantes Sobre Furto na Empresa

 
Infelizmente, a situação de furto na empresa é mais comum do que se imagina e, em grande parte dos casos, a gerência nunca fica sabendo ou demora para ter conhecimento. Os furtos podem ocorrer de diversas maneiras e em diversos níveis dentro de uma organização, podendo ser de bens ou de dinheiro.
 
Como é um assunto polêmico, muitos funcionários honestos, com medo de represálias, preferem fechar os olhos e não investigar e denunciar o colega, o que dificulta que a empresa tome alguma atitude. Enquanto isso, os desonestos continuarão furtando e, geralmente, cada vez mais, pois percebem que não serão descobertos.
 
Quem pensa que está livre de passar por isso por pagar bons salários, saiba que, mesmo profissionais que ganham bem, se envolvem em furtos. Isso demonstra que é muito mais uma questão de má índole do que de necessidade. A empresa precisa estar sempre atenta para identificar sinais de alerta de que há algo de errado acontecendo.
 

Sinais de Alerta de Furtos na Empresa

 
Os primeiros aspectos que devem ser analisados estão relacionados com a empresa. Os mais comuns são:
 
• Divergência entre as informações sobre estoque contidas no sistema e a realidade (isso só será percebido quando um balanço de estoque for realizado).
 
• Diferenças de informações contidas no fluxo de caixa e nas contas da empresa.
 
• Aceite de cheques sem fundo com frequência e sempre por um mesmo colaborador.
 
• Várias reclamações de clientes afirmando que efetuaram o pagamento, mas sem registro em sistema.
 
Esses são os quatro tipos de situações mais comuns que podem apontar para um problema de furto. Se uma delas aconteceu ou está acontecendo na sua empresa, é importante se atentar para o comportamento do colaborador em questão. Alguns sinais incluem:
 
• Demonstração de estar insatisfeito com o trabalho.
 
• Pessoas que, de uma hora para outra, aparecem com roupas e produtos que não faziam parte do seu estilo de vida e poder aquisitivo.
 
• Envolvimento com drogas ou abuso de álcool.
 
• Alteração no temperamento. Por exemplo: uma pessoa tranquila começar a se mostrar sempre na defensiva).
 
Além desses, muitas outras atitudes podem ser demonstradas pelo funcionário que está cometendo furtos na empresa. Cabe aos supervisores estarem atentos para identificar e, assim, ter a certeza se algo de errado está realmente acontecendo.
 

Motivos Que Levam um Funcionário a Cometer Furtos na Empresa

 
Existe uma série de motivos que podem levar um funcionário a começar a cometer furtos dentro de uma empresa. Obviamente, nada justifica que um ato ilícito seja cometido, mas entender essas possíveis razões é importante para que os empregadores encontrem formas de evitar que aconteça. Veja alguns dos motivos mais comuns que levam um colaborador a cometer furtos:
 
• Como uma forma de vingança contra a empresa, por acreditar que está sendo injustiçado de alguma forma.
 
• Por ser ganancioso e querer ter mais dinheiro do que o salário que recebe.
 
• Casos extremos de necessidade.
 
• Facilidade em cometer furtos sem ser descoberto.
 
• Quando percebe que outros funcionários também furtam e não são pegos.
 
• Por uma falta de política clara da empresa sobre o que é ou não permitido.
 
• Quando o funcionário vê que o dono da empresa age de forma ilícita e resolve seguir seu exemplo.
 
• Falta de comprometimento com a organização.
 
• Por considerar que o salário que recebe é injusto e muito abaixo do que deveria.
 

Furto é um dos Principais Motivos Para Justa Causa

 
Como disse no início, o furto é um motivo para a demissão por justa causa, que é quando a empresa deixa de ter a obrigação de oferecer o aviso prévio ao funcionário e pagar alguns direitos trabalhistas. Trata-se da máxima punição que um trabalhador pode receber por agir de forma inadequada dentro da organização em que trabalha.
 
Demitir um colaborador por justa causa é algo muito sério e que deve ser feito com muito cuidado, pois é necessário provar que o furto foi realizado por ele. Além disso, é importante que não se espere muito tempo para realizar o processo de demissão, pois a denúncia tem validade. Um furto que ocorreu há cinco meses, por exemplo, deixa de ser motivo para uma demissão por justa causa.
 
Se perceber que ocorreu algum tipo de furto na sua empresa, procure investigar e colher provas a respeito do ocorrido. Isso é importante, também, para evitar cometer injustiças e acusar um inocente. Lembre-se sempre que é uma situação delicada e nunca aja de forma impulsiva.
 
Você já passou por uma situação de furto entre os seus funcionários? Compartilhe comigo nos comentários a sua experiência sobre o tema.