Como funciona o ciclo de vida de uma empresa?

Como funciona o ciclo de vida de uma empresa?

Você sabia que as empresas passam por um ciclo de vida e que identificar cada fase pode ser uma forma prática de evitar que elas entrem em decadência por falta de inovação? O conteúdo abaixo é um resumo das ideias apresentadas no livro “Os Ciclos de Vida das Organizações”, de Ichak Adizes, que, desde a década de 1980, tem ajudado empresários a organizar as suas empresas com pertinência.
 

Ciclo de Vida da Empresa – Conheça Cada Fase

 
O crescimento empresarial se dá através de um ciclo em que a organização passa por etapas: Namoro, Infância, Toca-Toca, Adolescência, Plenitude, Estabilidade, Aristocracia, Burocracia Incipiente, Burocracia e Morte.
 

Fase do Namoro

 
Quando uma ideia de empreendimento surge, é natural que o empresário se apaixone por ela. A sequência do ciclo de vida da empresa depende do empreendedor acreditar nessa paixão e seguir adiante no seu desenvolvimento.
 

Fase da Infância

 
Assim como uma mãe que não quer deixar mais ninguém cuidar do seu bebê, o empreendedor pode direcionar a sua organização para uma fase repleta de crises pelo simples fato de centralizar as decisões e operações. Dentre as características que as empresas costumam apresentar nessa fase estão precariedade financeira, equipe amadora, falta de planejamento e definição de metas para o futuro.
 
Muitas empresas não conseguem sair dessa fase e acabam ficando pelo caminho, pois não têm como prosperar sem os devidos cuidados com a área das finanças ou, mesmo, com a forma de trabalhar. As empresas que apresentam algum crescimento empresarial passam para a próxima etapa, mas ainda tem problemas estruturais para resolver.
 

Fase do Toca-Toca

 
Nessa etapa, as empresas que sobreviveram à fase da infância continuam tendo algum amadorismo em seus processos e gestão financeira, porém, conseguiram impor um ritmo de produção e vendas. Geralmente, o sucesso obtido em meio ao caos é devido ao empreendedorismo nato do fundador ou fundadores. Mas, aí mora um grande perigo, passar a acreditar que não é necessário buscar profissionalização e organização dos processos. Muitas empresas não conseguem passar esse estágio e fecham as portas.
 

Fase da Adolescência

 
Dentro do ciclo de vida empresarial, a adolescência é uma das fases mais complicadas de atravessar. Nesse momento, o empreendedor passa a compreender que não pode fazer tudo sozinho, mas ainda não consegue montar uma equipe sólida e não aceita muito bem as sugestões dos seus gerentes. Os tropeços ao longo do caminho fazem com que muitas companhias adotem processos falhos que demoram a ser corrigidos, podendo levar a organização para a fase do Toca-Toca novamente ou, mesmo, para a falência.
 

Fase da Plenitude

 
Sobreviver a todas as etapas de crescimento empresarial citadas acima, traz a empresa para a fase de plenitude, em que todos os seus processos funcionam bem e se tem lucros, otimização do trabalho e tranquilidade na área administrativa. Contudo, se a companhia não mantém o hábito de renovação contínua, pode ver desmoronar muito rapidamente tudo o que levou muito tempo para construir indo direto para a etapa seguinte.
 

Fase da Estabilidade

 
As empresas que já estão amadurecidas, podem acabar se acomodando e, assim, não se atentar para a necessidade de continuar a sua renovação constante. A estabilidade das finanças oferece uma falsa sensação de segurança, parece que a companhia não precisa fazer mais nada para manter o status alcançado. As organizações que se acomodam acabam entrando em declínio.
 

Fase da Aristocracia

 
O capital financeiro está em alta nessa fase e isso pode acarretar em um comportamento desleixado da companhia em relação à sua administração. Há pouco cuidado com a renovação dos seus produtos, que acabam se tornando obsoletos para o consumidor. O tempo de mercado faz com que alguns empreendedores fiquem engessados e, com isso, não acompanhem a dinâmica das mudanças. Muitas empresas acabam passando por fusões ou são compradas nessa etapa.
 

Fase da Burocracia Incipiente

 
Reflexo do processo que teve início na fase anterior do ciclo de vida, nessa etapa, as empresas vão sofrendo duras perdas, tanto no que diz respeito ao capital financeiro como ao humano. Os talentos dos quadros de funcionários começam a sair da companhia e, até os mesmo os consumidores, deixam de dar a preferência para a marca. As empresas pequenas são as primeiras a fechar nessa etapa que pode levar a falência.
 

Fase da Burocracia

 
A fase em que a burocracia se entranhou de tal forma na organização que é difícil encontrar um processo que não seja afetado por ela. As companhias de grande porte até conseguem se manter no mercado nessas condições, porque detêm capital para suportar as perdas e por, em alguns casos, serem as controladoras dos seus mercados. Porém, é inevitável que em algum momento essas empresas decaiam de tal maneira que acabem chegando à morte.
 

Fase da Morte

 
A etapa final do ciclo de vida empresarial é aquela em que as suas portas se fecham para sempre e, em grande parte dos casos, ainda deixa prejuízos difíceis de sanar posteriormente.
 
Em que fase do ciclo de vida empresarial a sua empresa está? Você pode evitar o fechamento da organização com atenção e correção de processos pouco assertivos.