Conheça o conceito FIFO e PEPS

Conheça o conceito FIFO e PEPS

Você já ouviu falar a respeito da sigla FIFO? E PEPS? A primeira vem do inglês e significa “first in, first out” e a segunda é a sua versão em português “primeiro a entrar, primeiro a sair”. São expressões usadas no gerenciamento de estoque, a fim de evitar que produtos sejam esquecidos no fundo das prateleiras e acabem perdendo sua validade.
 
No artigo de hoje você irá conhecer melhor esse conceito, suas vantagens e saber como aplicá-lo.
 

Vantagens do FIFO ou PEPS

 

Redução de Inventário Obsoleto

 
A expressão inventário obsoleto refere-se aos itens de estoque que são antigos e não estão mais adequados para venda ou uso na produção. Quando esse controle não é realizado, muitas empresas acabam tendo prejuízos por conta de produtos que passaram a validade. O FIFO ajuda a impedir isso, pois o estoque é organizado de forma que os itens mais antigos fiquem sempre na frente dos mais novos.
 

É um Método Simples

 
Uma das maiores vantagens deste método é que ele é muito simples de entender e operar e, portanto, não requer qualquer pessoal especializado. Essa facilidade em colocá-lo em prática faz com que as chances de erro sejam quase nulas.
 

Redução do Impacto da Inflação

 
O método FIFO pode reduzir o impacto da inflação na empresa. Considerando que a inflação é algo constante, o preço de compra do estoque que é usado na produção ou vendido no varejo foi menor do que o preço do estoque comprado mais recentemente. Como a despesa com materiais é registrada pelo preço de compra dos itens usados ou vendidos, esse custo será menor do que se o preço de mercado atual dos itens fosse usado para registrar a despesa.
 

Valor do Inventário Final Atualizado

 
O controle de estoque do método FIFO garante que os valores de inventário final no balanço sejam indicativos dos preços de mercado atuais. Como os itens comprados em datas anteriores são retirados do estoque para produção ou venda, os que ficaram fazem parte do que foi mais recentemente adquirido. Isso garante que o inventário final no balanço reflita os preços de mercado atuais.
 

Redução de Custos Operacionais

 
Como o estoque estará mais organizado, os funcionários responsáveis pelo controle gastarão muito menos tempo separando os itens que serão usados na produção ou que forem vendidos. Além disso, há a opção do estoque mínimo, o que evita que a empresa fique com dinheiro parado e tenha um maior fluxo de caixa.
 

A Importância da Gestão de Estoque

 
Além do método FIFO ou PEPS existem vários outros que abordaremos em artigos futuros. Independente da sua escolha, contar com uma gestão de estoque é fundamental para que sua empresa tenha sucesso.
 
Não ter estoque suficiente significa que você corre o risco de perder vendas ou atrasar a produção, enquanto ter um estoque muito grande é caro e pode te trazer prejuízo. É por isso que ter um sistema de controle de estoque eficiente é tão importante.
 

Evita Que Itens Fiquem Indisponíveis

 
Um estoque defasado pode te fazer perder muitas vendas. Um sistema de gerenciamento eficiente controla a quantidade de produtos que você tem em estoque e prevê quanto tempo eles irão durar com base na atividade de vendas. Isso permite que você faça a reposição no tempo certo, evitando excessos e faltas.
 

Evita o Excesso de Produtos

 
Quando o estoque não é bem gerenciado, você pode acabar com um excesso de itens, o que gera uma série de problemas. Quanto mais tempo um produto fica parado no estoque, maior a chance de nunca conseguir vender tudo, o que significa que você terá que oferecer descontos muito grandes, reduzindo seu lucro ou, até mesmo, perdendo o dinheiro que investiu para comprá-lo.
 
Os produtos ficam fora de moda ou obsoletos, os que são perecíveis podem estragar, sem contar no desgaste que pode ocorrer com o passar do tempo. Além disso, um estoque muito grande gera custos para ser armazenado, contado e manipulado.
 

Problemas Com o Capital de Giro

 
Repor um estoque é caro. Por exemplo: Quando você paga R$ 15,00 por um item de um fornecedor, faz isso com a expectativa de que em breve vai vendê-lo por um preço mais alto, permitindo que o custo seja recuperado somado ao lucro.
 
No entanto, enquanto o item está na prateleira, seu valor fica bloqueado no estoque. Ou seja, cada item desse representa R$ 15,00 que você não pode usar em outra parte do seu negócio. Por isso, gerenciar o estoque não é apenas organizar o material que entra e sai da sua empresa, mas também controlar o seu capital de giro, evitando que o dinheiro fique preso em operações.
 

Quem Fabrica Também Precisa Controlar o Estoque

 
O controle de estoque não deve ser apenas uma preocupação para as empresas que trabalham com produtos acabados, como varejistas e atacadistas. Também é fundamental para os fabricantes, que mantêm três tipos de inventário: matérias-primas, itens em processo e produtos acabados.
 
Se você ficar sem um item ou componente essencial, a produção irá parar, o que pode custar muito caro. Se você não tem uma quantidade de produtos prontos para surprir a demanda dos seus clientes, está arriscado a perdê-los. Manter um controle eficiente é essencial se você quiser manter a linha de produção em funcionamento e não deixar nenhum cliente na mão.