Saiba quais são as principais vantagens do Regime de Caixa

Saiba quais são as principais vantagens do Regime de Caixa

A gestão financeira de uma empresa demanda grande atenção do administrador sendo que os relatórios contábeis têm grande relevância podendo ser analisados sob o aspecto do regime de caixa ou do regime de competência. O empreendedor – mesmo nos casos em que conta com o auxílio de um contador – deve ser capaz de diferenciar os dois regimes contábeis e determinar qual é o melhor para a sua análise.

O Que é Regime de Caixa?

Esse método de registro contábil é considerado como mais simples e por isso tem grande aceitação entre os empresários. Nesse regime a empresa registra os seus custos e receitas somente no momento em que se concretizam. Para que fique mais fácil de entender vou exemplificar da seguinte maneira, imagine que a empresa X realizou uma venda no mês de agosto, mas o pagamento será realizado somente no mês de setembro.

O registro dessa receita acontecerá somente no mês de setembro e não no de agosto quando a transação foi efetuada. A mesma lógica é utilizada para os custos, se a companhia realizou uma compra parcelada esses passivos somente serão registrados no momento em que cada parcela for paga. Esse método de registro contábil é bastante utilizado para manter o controle sobre o fluxo de caixa, por exemplo.

Vantagens

O regime de caixa funciona mais ou menos como uma conta corrente em que se tem como base somente o que está efetivamente depositado na mesma não contando com um dinheiro que ainda não entrou ou com uma conta que ainda não foi paga. Desse ponto de vista é um sistema contábil muito vantajoso, mas não se pode deixar de pensar que não se tem projeções a longo prazo. Manter um controle paralelo do que será cobrado futuramente e do que entrará na forma de receita é essencial para não se perder nas contas.

E o Que é Regime de Competência?

Para entender o impacto do regime de caixa na gestão de uma organização é necessário conhecer o conceito de regime de competência. Geralmente esse método de registros contábeis é utilizado por organizações que estão atingindo um tamanho mais significativo no mercado porque se baseia no desenvolvimento de relatórios mais frequentes e mais foco em projeções futuras tanto em termos de custos como de receitas.

Esse método prevê o registro de custos e receitas no momento em que a transação foi realizada independente de o pagamento ser realizado em outro momento. Naquele exemplo que citei acima da venda realizada em agosto para pagamento em setembro o registro ficaria em agosto mesmo o pagamento sendo realizado futuramente. Essa lógica se aplica também as receitas.

O método que pode parecer confuso num primeiro momento por trabalhar com presunções de custos e receitas se mostra mais efetivo no cenário corporativo permitindo ter a sua frente o desenho de um cenário mais próximo da realidade. Devemos considerar que mesmo que os custos e receitas ainda não tenham se concretizado fazem parte da realidade empresarial.

Ponto de Vista Legal

Sob o ponto de vista legal somente o regime de competência pode ser utilizado pelo fato de que reconhece os efeitos financeiros no período a que eles competem independente de suas naturezas e origens. O regime de caixa trabalha somente com custos e receitas que se concretizaram efetivamente, mas deixa de fora algumas considerações relevantes para a fiscalização.

Pode-se utilizar o sistema de regime de caixa para a apuração de alguns tipos de tributos como a tributação do Simples Nacional, reconhecimento de receita para PIS e COFINS, realização de contratos com instituições do governo ou variações cambiais. No momento de escolher o sistema contábil oficial da sua companhia é interessante optar pelo de competência, no entanto, isso não impede de usar o de caixa para manter uma análise do que se tem na forma de ativos e o que se tem de passivos em cada momento.

Impacto da Utilização do Regime de Caixa

O principal impacto de usar esse sistema para fazer a análise contábil é o de não trabalhar com projeções das finanças nos momentos do futuro imediato. Saber quanto se tem em caixa sem considerar pagamentos que ainda não aconteceram é bom para se manter focado na realidade, mas ter uma ideia de quanto se terá disponível assim como dos custos que precisarão ser cobertos é uma forma de evitar desvios e acidentes de percurso.

Muitas empresas fecham as portas antes de completar cinco anos de atuação no mercado pelo fato de que não se tem um controle efetivo das suas finanças. Os gestores devem ter conhecimento a respeito do os aguarda adiante. Se parecer um bom apoio usar o regime de caixa para a gestão do seu empreendimento recomendo que adote também o de competência.

O que você achou de conhecer mais sobre o regime de caixa? Deixe seus comentários a seguir!

Saiba mais sobre estratégias para pequenas e médias empresas! Inscreva-se no meu canal. Inscreva-se agora!