Saiba o que o Bullying pode causar no ambiente profissional

Saiba o que o Bullying pode causar no ambiente profissional

Cada vez mais se está debatendo o bullying nas empresas, a prática, que não pode ser encarada como uma mera brincadeira, já destruiu inúmeras carreiras promissoras e impactou negativamente a produtividade de diversas corporações. Entender que a criação desse tipo de ambiente hostil não se restringe ao universo juvenil das escolas é essencial para que reconheça o problema e sejam encontradas soluções.

O Que é Bullying nas Empresas?


O
bullying corporativo se configura como agressões repetitivas no ambiente de trabalho que têm como principal objetivo acarretar na angústia e sofrimento da vítima que, após algum tempo, não tem mais forças para reagir. Muitos indivíduos importunados pelo bullying desenvolvem quadros de depressão.

Os especialistas em psicologia corporativa acreditam que o fenômeno tem ganhado destaque por duas questões centrais, sendo a primeira delas que a maior competitividade no mercado acarretou numa sensação constante de nervosismo, o que faz com que muitos executivos percam a linha quando decidem cobrar os seus subordinados.

O segundo ponto é que nunca se falou tanto a respeito de bullying, de uma forma geral, e, com isso, foi possível identificar que alguns comportamentos são nocivos e inaceitáveis no ambiente de trabalho. O que antes passava apenas como um simples descontrole ou excesso de cobrança, passou a ser definido como abuso em relação aos colegas.

Comportamentos Nocivos


Para que fique mais claro o que pode ser definido como bullying nas empresas, vou falar a respeito de alguns casos que ganharam notoriedade na mídia. Algumas funcionárias de uma empresa relataram que eram constantemente constrangidas pelo proprietário, que as chamava de “jumentos do Ceará”, e implantou um sistema de campainha para dispersá-las se, por acaso, elas começavam a conversar.

Outra história alarmante é a de colaboradores que eram chamados por seu gestor de “burros” e ameaçados de perder seus empregos diante de terceiros. Em boa parte dos casos de bullying corporativo, os agentes da provocação são indivíduos com algum poder, como os próprios donos da companhia ou gestores. Contudo, há casos em que indivíduos que gostam de se sentir acima dos demais praticam esses comportamentos nocivos com colegas do mesmo nível de hierarquia. Qualquer atitude de intimidação e que cause humilhação diante de terceiros pode ser classificado como bullying realizado dentro das empresas.

Perda da Autoestima


A principal consequência para quem é atacado constantemente pelas piadas de mau gosto e abuso de poder dos praticantes de bullying é a perda da
autoestima. A pessoa, depois de algum tempo recebendo os ataques, pode começar a se sentir menos em relação aos demais e, até mesmo, chegar ao extremo de pedir demissão, mesmo que precise muito do trabalho.

Tem casos de profissionais que desenvolveram problemas emocionais bastante sérios devido a frequente pressão que sofriam durante a sua jornada de trabalho. Essas pessoas começam a associar o hábito de ir até a companhia para a qual trabalham a uma espécie de tortura, só se sentindo bem quando não precisam enfrentar os colegas que empreendem as provocações.

Perfil de Quem Pratica Bullying nas Empresas


Uma pesquisa norte-americana detectou que o número de mulheres que praticam bullying no ambiente de trabalho é ligeiramente mais alto do que o de homens, respectivamente, 50,2% e 44,7%. No Brasil, uma pesquisa semelhante observou que não há diferença significativa em termos de números entre eles e elas, porém, há no tipo de agressão praticado.

As mulheres tendem a realizar o que se chama de bullying velado, na forma fofocas e calúnias que destroem a imagem da pessoa que se pretende atingir. Por sua vez, os homens preferem agressões verbais diretas, como dar apelidos pejorativos e xingar na frente dos colegas.

De maneira geral, as pessoas que têm esse tipo de comportamento apresentam o desejo de dominar aqueles que estão à sua volta. Grande parte dos casos acontecem verticalmente (chefes em relação a subordinados), mas também podem ser horizontais (mesmo nível hierárquico), em que as agressões se travestem de “brincadeiras”.

Perfil de Quem Sofre Bullying nas Empresas


Em muitos casos, as vítimas de bullying corporativo são profissionais que ganharam destaque na empresa por terem um bom desempenho, algo semelhante ao que acontece nos ambientes escolares, em que os melhores alunos podem ser perseguidos por “brincadeiras” que passam dos limites do aceitável. Os indivíduos que são “escolhidos” pelos agressores geralmente são gentis e não têm jogo de cintura para lidar com a hostilidade.

Agindo Contra o Bullying


Gestores e outros indivíduos em posição de poder dentro das corporações precisam falar a respeito das práticas de bullying profissional e deixar claro que esse comportamento agressivo não será tolerado. Devo ressaltar que muitas pesquisas demonstram que os praticantes das agressões sabem perfeitamente quais são as consequências de suas atitudes e, mesmo assim, continuam perseguindo seus colegas.

É possível conversar com o indivíduo que pratica bullying para tentar dissuadi-lo dos seus comportamentos ruins, mas se identificar o perfil de um agressor que não tem o menor desejo de deixar os maus hábitos no passado, o empreendedor deve demiti-lo para conservar a tranquilidade no ambiente de trabalho.

Você já presenciou alguma situação de bullying em empresas? Comente abaixo.

 

Saiba mais sobre os principais conflitos em pequenas e médias empresas! Inscreva-se no meu canal. Inscreva-se agora!