Piores Cidades para empreender no Brasil

Piores Cidades para empreender no Brasil

Abrir uma empresa pode ser um tanto complicado no Brasil, especialmente nas consideradas piores cidades para empreender em nosso país. As dificuldades incluem a burocracia extrema e a elevada carga tributária. Nessas cidades não há boas condições para atrair investidores e assim se torna uma tarefa hercúlea iniciar as atividades de um novo negócio. O empresário precisa ter paciência e um bom capital para se manter ao longo dos primeiros meses.

Saiba quais são as 10 piores cidades para empreender no Brasil

A seguir apresento as cidades brasileiras que compõem o ranking das piores para se iniciar um negócio próprio. Como já mencionei há escassez de benefícios para os investidores e a barreira da burocracia impedindo o fomento empreendedor.

1 – Cuiabá, Mato Grosso

Uma cidade em que há grande dificuldade para os empreendedores receberem ou até mesmo buscarem investimentos de risco (venture capital). As condições regulatórias e a burocracia excessiva não criam um cenário satisfatório para atrair investidores. É necessário ciar um ambiente favorável para propiciar as bases necessárias para o fomento do empreendedorismo.

2 – Manaus, Amazonas

Abrir uma empresa em Manaus pode levar mais de 5 meses, os empreendedores, de maneira geral, não têm todo esse tempo para ficar sem fazer as engrenagens de suas ideias girarem gerando lucratividade. Uma forma de acelerar o empreendedorismo nessa capital seria melhorar o ambiente regulatório reduzindo as barreiras burocráticas.

3 – Maceió, Alagoas

Dentre as capitais brasileiras, Maceió, é a última colocada no levantamento realizado anualmente pela Endeavor sobre a competitividade e boa receptividade para a atividade empreendedora. Geralmente se tem uma ideia de que nas capitais é mais fácil abrir um negócio, porém, para quem mora nessa bela cidade a realidade é outra, muito tempo de espera para poder colocar a ideia em prática e uma estrutura urbana precária.

4 – São Luís, Maranhão

A questão mais impactante para as dificuldades empreendedoras na cidade de São Luís é a falta de segurança pública. A cidade amarga a alcunha de ser uma das mais perigosas do Brasil e isso faz com que não receba a devida atenção dos potenciais investidores. As taxas de homicídios das capitais nordestinas de maneira geral são muito mais elevadas do que em cidades do Sudeste ou Sul.

5 – Belém, Pará

As leis tributárias aplicadas aos empreendimentos na cidade de Belém dificultam que os empresários de primeira viagem consigam se estabelecer sem enfrentar sérios problemas. Outro ponto muito importante de ser mencionado se refere ainda a burocracia para abrir ou fechar empresas, isso ata as mãos dos interessados em ter um negócio próprio. Em média o Brasil altera as regras relativas a companhias 200 vezes a cada três anos. O empreendedor precisa se esforçar para ficar sempre dentro do que dita a lei.

6 – Salvador, Bahia

Dentre os principais problemas que Salvador enfrenta estão a dificuldade para atrair investimentos, falta de mão de obra qualificada e a precariedade da segurança pública. Melhoras sensíveis nos dois últimos tópicos poderiam ajudar a atrair mais investidores aumentando assim a capacidade produtiva da capital baiana.

7 – Teresina, Piauí

O cenário de dificuldades de Teresina é bem parecido com o de Maceió, tanto no que diz respeito à precariedade da estrutura da cidade como em termos de ambiente regulatório. O empreendedor não consegue ter agilidade para abrir as portas da empresa e isso faz com que se torne demasiadamente oneroso realizar o seu sonho.

8 – Aracaju, Sergipe

O poder público tem a possibilidade de melhorar as taxas de empreendedorismo de cidades como Aracaju simplificando a burocracia e melhorando o ambiente para o posicionamento de novos negócios. Se não tem uma estrutura urbana bem planejada fica bem difícil conseguir colocar ideias em prática.

9 – Natal, Rio Grande do Norte

Mais uma capital nordestina que tem lindos atributos naturais, mas que não se mostra favorável para os empreendedores. Questões burocráticas e tributárias aparecem no topo da lista dos principais problemas que impedem o aumento do número de empresários.

10 – Fortaleza

Assim como Maceió e Teresina, Fortaleza é uma capital com pouca infraestrutura urbana e com muitos instrumentos impeditivos da agilidade de abertura de um negócio. Além disso, também sofre com a questão de pouca segurança e de distâncias muito amplas entre as regiões mais periféricas e o centro. A forma como a cidade foi urbanizada não colabora para a prosperidade de empreendimentos.

O Brasil tem grande potencial para empreendedorismo

O Brasil é um país com grande capacidade criativa e dotado de recursos bastante interessantes para fazer a roda da economia girar, contudo, precisa atentar para a melhoria da segurança pública e investimento na qualificação de mão de obra. O ambiente precisa estar adequado para que novas oportunidades possam se concretizar.

Gostou desse artigo? Qual a sua opinião a respeito da lista, concorda com as cidades citadas? Conte-me nos comentários abaixo. 

 

Copyright:  1145358584 – https://www.shutterstock.com/pt/g/vinuwongsri