Você sabe o que significa Lean Thinking?

Você sabe o que significa Lean Thinking?

As ideias por trás do chamado lean thinking, ou pensamento enxuto, estão ligadas a várias fontes, incluindo o grande empreendedor Henry Ford e o especialista em gestão William Edwards Deming. Com destaque particular para as ideias desenvolvidas originalmente nas operações de fabricação da Toyota, após Segunda Guerra Mundial.
 
O termo “lean” foi popularizado no livro “A Máquina Que Mudou o Mundo” (Womack, Jones e Roos, 1990), que ilustrou claramente, pela primeira vez, a significativa diferença de desempenho entre as indústrias automotivas japonesas e as ocidentais. Nele estão descritos os elementos-chave que explicam esse desempenho superior, como é o caso da produção enxuta (ou lean), porque os métodos de negócios japoneses usavam menos de tudo – esforço humano, investimento de capital, instalações, estoque e tempo – na fabricação, no desenvolvimento de produtos, no fornecimento de peças e nas relações com os clientes.
 

Os Princípios do Lean Thinking

 
No livro “Lean Thinking”, lançado em 1996, os autores James P. Womack e Daniel T. Jones apresentaram cinco princípios que devem ser adotados em uma organização para implementar o pensamento enxuto. A premissa inicial é reconhecer que apenas uma pequena fração de tempo e esforço ao fabricar um produto ou entregar um serviço realmente agrega valor para o cliente final. Portanto, é fundamental definir claramente o valor de um produto ou serviço do ponto de vista do consumidor, de modo que todas as atividades e materiais sem valor possam ser removidos do processo de produção.
 
Os cinco princípios descritos no livro são:
 
• Especifique o que dá valor ao produto ou serviço na perspectiva do cliente.
 
• Identifique todas as etapas que agregam valor.
 
• Crie um fluxo apenas com as etapas que agregam valor.
 
• Produza apenas a quantidade necessária para suprir a necessidade dos clientes, com máxima redução de estoque.
 
• Esforce-se para chegar o máximo possível perto da perfeição, reduzindo o desperdício e as etapas desnecessárias do processo.
 
Na maioria das operações de produção industrial, apenas uma pequena parcela das atividades realmente agrega valor ao produto ou serviço. A eliminação das atividades que não agregam valor (ou que geram desperdício) é, portanto, a maior fonte de melhoria no desempenho corporativo e no atendimento ao cliente.
 
Poucos produtos ou serviços são fornecidos por uma única empresa, a maioria passa por várias organizações, como no caso dos automóveis, por exemplo, em que cada fábrica produz um tipo de peça. Desse modo, a remoção de processos desnecessários deve ser realizada ao longo de todo o conjunto de atividades em todas as entidades envolvidas na entrega conjunta do produto ou serviço. Novos relacionamentos são necessários para eliminar o desperdício entre empresas e para gerenciar efetivamente o fluxo de valor como um todo. As atividades em cada empresa devem ser sincronizadas, a fim de atender a demanda do cliente final.
 
A remoção de tempo e esforço desperdiçados representa a maior oportunidade para melhoria de desempenho, permitindo que o foco fique na criação de valor. À medida em que há uma reorganização em todas as etapas, mais e mais situações de desperdício tornam-se visíveis e o processo deve continuar sempre em busca da perfeição. Por isso, o lean thinking é um sistema para melhoria contínua do desempenho e não um programa que deve ser realizado apenas uma vez.
 

As Questões Para Identificar o Desperdício

 
Foram definidas sete questões para ajudar os empreendedores a identificar situações de desperdício em seu processo de produção. Elas funcionam como guias e tornam o processo mais simples.
 
1. Existe transporte desnecessário (sem valor agregado) de peças ou materiais entre seus processos?
 
2. Seus colaboradores, sistemas ou instalações ficam ociosos enquanto esperam por um ciclo do trabalho para ser concluído?
 
3. Você está produzindo mais rápido ou em quantidades maiores do que o seu cliente está exigindo?
 
4. Existe algo no processo que seu cliente julgaria ser inaceitável?
 
5. Você tem alguma matéria-prima, trabalho em andamento ou produtos acabados que não estão tendo valor agregado?
 
6. Quantos materiais, pessoas, equipamentos e bens precisam se envolver dentro de todas as etapas do processo?
 
7. Você executa qualquer trabalho além do padrão exigido por seu cliente?
 

A Empresa Enxuta

 
Os princípios do lean thinking podem ser aplicados a qualquer organização e em qualquer setor. Embora a origem desse pensamento seja a fabricação automotiva, os princípios e técnicas podem ser transferidos para muitos setores, muitas vezes com pouca necessidade de adaptação. Setores como distribuição, varejo, construção, saúde, serviços financeiros e administração pública começaram a implementar ideias de gestão de empresa enxuta nos últimos anos.
 
Lean não é um programa de redução de recursos a curto prazo, mas sim a forma como sua empresa precisará operar para permanecer firme em um mercado global cada vez mais competitivo. A expressão “lean transformation” é frequentemente usada para caracterizar qualquer organização que esteja abandonando uma velha maneira de pensar para começar a seguir os princípios do lean thinking. Essa transformação requer uma perspectiva de longo prazo que resultará em uma nova maneira de conduzir o negócio e que certamente trará muitos benefícios.
 
O que você achou a respeito do lean thinking? Sua empresa já segue algum desses princípios?