Custos e investimentos: saiba diferenciá-los

Custos e investimentos: saiba diferenciá-los

Um dos desafios que muitos empreendedores têm ao abrir um negócio é lidar com as finanças mesmo sem ter experiência. É fundamental controlar tudo com cuidado, pois um pequeno erro pode causar um impacto negativo sobre a empresa. Saber diferenciar investimentos de custos, por exemplo, é algo muito importante para que se tome decisões que sejam positivas. E você, sabe qual é a diferença entre eles? Se não sabe, ou está em dúvida, continue acompanhando o artigo.
 

Quais São as Diferenças Entre Investimentos e Custos?

 
A principal diferença entre investimentos e custos é que o primeiro é um tipo de gasto que tem a expectativa de trazer retornos em um curto, médio ou longo prazo. Na maioria dos casos, os investimentos chegam a compensar o valor gasto para realizá-lo. Ao abrir a sua empresa, por exemplo, imagino que tenha sido necessário adquirir algum tipo de equipamento, isso é um investimento, pois trouxe ou trará um retorno para você.
 
Os gastos que se têm para fazer cursos, treinamentos para funcionários, assistir palestras, comprar livros e outras oportunidades relacionadas à educação também são considerados investimentos. Afinal, a ideia é que o conhecimento adquirido faça de você uma pessoa mais preparada para produzir mais e com maior qualidade.
 
Os custos, também, são um tipo de gasto, mas o conceito se refere aos valores necessários para produzir bens e serviços. Vale dizer que são aqueles valores gastos diretamente com a produção dos mesmos. A compra de matéria-prima e os salários dos funcionários da produção são exemplos de custos. Realizar a contabilidade de custos com eficácia é fundamental para definir os preços pelos quais os seus produtos serão vendidos sem prejudicar a saúde financeira do negócio.
 
Além dos custos e dos investimentos, existe um terceiro tipo de gasto, que são as despesas. Elas não trazem nenhum retorno financeiro, mas são indispensáveis para que se obtenha a receita. Alguns dos principais exemplos de despesas que uma empresa tem são: água, energia elétrica, internet, aluguel, telefone, etc.
 

Entendendo o Conceito de Investimento

 
É bastante comum vermos pessoas comprando um carro dizendo que estão realizando um investimento. Mas a verdade é que a compra desse tipo de bem é uma despesa, pois, além de o valor empregado na compra não retornar, pois ele se desvaloriza conforme o tempo passa, ainda irá gerar gastos com combustível, manutenção, impostos, seguro, etc.
 
Se você tem o costume de dizer que tudo o que compra é um investimento, aconselho que reveja os seus conceitos. Além do carro, itens como roupas, computadores, celulares, serviços de salão de beleza, entre outros, não são investimentos. Já quando se trata de um curso, uma faculdade e outras coisas que trarão retorno, então poderão ser consideradas como um investimento.
 
Voltando para o âmbito empresarial, uma questão que costuma gerar muitas dúvidas é em relação às reformas nas dependências da organização. A verdade é que depende do intuito da obra para definir se é ou não um investimento. Se for apenas para reparo, trata-se de uma despesa, entretanto, se o intuito for expandir o prédio para atender mais pessoas, por exemplo, pode ser considerado um investimento.
 
Sempre que surgir a dúvida, responda a seguinte pergunta: Esse gasto irá agregar valor para o negócio? Se a resposta for sim, é porque realmente se trata de um investimento e não de uma simples despesa.
 

A Importância de Diferenciar Investimentos e Custos

 
Já falei em diversos artigos em meu blog sobre a importância que as finanças têm em uma empresa. Afinal, de nada adianta aumentar as vendas se não souber administrar os ganhos com eficácia. Por isso, é fundamental registrar todas as entradas e saídas de dinheiro e classificá-las entre custos, despesas e investimentos. Essa organização irá permitir que se tome decisões mais acertadas e que não se perca o controle.
 
Os investimentos são parte importante do sucesso de um negócio, pois é por meio deles que se pode expandir e atingir novos mercados, entretanto, envolvem decisões que precisam ser tomadas com cautela. Quando não se sabe diferenciar os investimentos dos custos e das despesas, aumentam-se as chances de fazer escolhas negativas e que não trarão bons resultados e nem o retorno que se espera.
 

Definições de Custos, Investimentos e Despesas

 
Para fixar e não se esquecer mais da diferença entre custos, investimentos e despesas, confira as definições de forma resumida.
 
Custos: Tudo o que está atrelado à atividade fim da empresa. Se o negócio trabalha com revenda de produtos, o valor pago ao fornecedor e o frete são custos. O mesmo vale para os fabricantes, que têm como custos, basicamente, a mão de obra e a matéria prima.
 
Investimentos: Gastos que trarão retorno e que irão agregar valor ao negócio, como, por exemplo, aquisição de maquinário, obras de expansão, treinamento para funcionários, etc.
 
Despesas: São gastos que não estão, necessariamente, ligados aos produtos, mas que são importantes para o funcionamento da empresa, como: aluguel, telefone, internet, materiais de escritório, etc.
 
Gostou do artigo? Então aproveite e compartilhe em suas redes sociais para que mais pessoas aprendam e não confundam mais!